PUBLICIDADE

Instagram e Facebook terão assinatura sem anúncios após pressão da UE

Assinatura não traz anúncios personalizados para usuários, atendendo a obrigações regulatórias do bloco europeu

Por Michelle Pértile

Usuários do Facebook e Instagram dos países da União Europeia (UE), Espaço Econômico Europeu (EEE) e Suíça vão poder navegar pelas duas plataformas sem se deparar com anúncios a partir da assinatura de um plano que custará 9,99€/mês na web ou 12,99€/mês em iOS e Android. A medida foi anunciada nesta segunda-feira (30), pela Meta. Os assinantes não terão informações pessoais usadas para anúncios.

PUBLICIDADE

A mudança atende a obrigações do bloco europeu alinhadas a Lei de Proteção de Dados Europeia (GDPR) e a Lei dos Mercados Digitais. As normativas têm como objetivo regulamentar o uso de dados e garantir condições equitativas para todas as empresas digitais, independentemente do tamanho. A Meta entende que dando a possibilidade do usuário fornecer ou não seus dados para os anunciantes, por meio da adesão, estará de acordo com as exigências.

“A opção para as pessoas adquirirem uma assinatura sem anúncios equilibra os requisitos dos reguladores europeus, ao mesmo tempo que dá escolha aos utilizadores e permite que a Meta continue a servir todas as pessoas na UE, no EEE e na Suíça”, explica a empresa em comunicado.

A empresa afirma, também, que as plataformas seguem disponíveis para quem não quiser comprar o pacote, sem nenhuma mudança no funcionamento. Apesar do produto ter sido lançado, observa-se no tom da nota da Meta que a empresa segue alinhada com o modelo de negócio com anúncios.

“Acreditamos em uma internet suportada por anúncios, que dá às pessoas acesso a produtos e serviços personalizados, independentemente da sua situação econômica. Permite também que as pequenas empresas alcancem potenciais clientes, expandam os seus negócios e criem novos mercados, impulsionando o crescimento da economia europeia”, afirma a empresa.

A assinatura estará disponível para pessoas com 18 anos ou mais. O valor pago deve aumentar com o passar do tempo. A projeção da empresa é que a assinatura nos moldes da atual siga até 1º de março de 2024. Depois disso, será aplicada uma taxa adicional de 6 €/mês na Web e de 8 €/mês no iOS e Android para cada conta adicional listada no Centro de Contas de um utilizador.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.