Aécio diz que brasileiros não querem ser governador por 'segundo time'

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse nesta quinta-feira não acreditar que o povo brasileiro queira ser governado por um "segundo time" e voltou a dizer que sua candidatura tem à disposição uma "seleção brasileira", capaz de fazer as mudanças que o país precisa.

REUTERS

11 Setembro 2014 | 16h59

Durante agenda de campanha em Montes Claros (MG), Aécio disse que, ao contrário da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, não faz ataques pessoais à candidata do PSB, Marina Silva, e que suas críticas a ela são "políticas".

"Eu não faço a ela qualquer acusação pessoal, acho absolutamente inaceitável esse tipo de acusação que ela recebe da presidente Dilma", disse o tucano.

"Você tem visto as propagandas na televisão comparando a Marina a outros ex-presidentes da República. Eu não faço esse tipo de ataques pessoais. Eu não entro no vale-tudo para ganhar a eleição. Apenas é muito importante que a candidata Marina passe maior credibilidade em relação aquilo que pensa", acrescentou.

Aécio fez ainda uma referência velada ao discurso de Marina de que governará com os melhores de cada partido que, segundo ela, estão atualmente no "banco de reservas" dessas legendas.

"Nós não podemos perder as oportunidades de dar ao Brasil um projeto consistente, com gente de qualidade para executar esse projeto. Nós temos isso. Esta aí a disposição do Brasil", garantiu.

"O Brasil se tem uma seleção uma seleção brasileira à disposição, eu não acredito que vai querer ser governado por um segundo time", acrescentou.

(Por Eduardo Simões)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014AECIOSEGUNDOTIME*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.