Alimentos sobem menos e arrefecem inflação pelo IPC-S

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) desacelerou na segunda leitura do mês, devido sobretudo a uma menor pressão de alimentos.

REUTERS

16 de setembro de 2011 | 08h27

O indicador subiu 0,69 por cento na segunda prévia de setembro, ante 0,74 por cento na primeira, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

Os custos do grupo Alimentação aumentaram 1,39 por cento agora, contra 1,76 por cento antes. O arrefecimento deveu-se principalmente à menor alta das frutas.

Apenas mais um grupo entre os sete pesquisados teve desaceleração da alta: os preços de Educação, leitura e recreação avançaram 0,23 por cento agora, contra 0,25 por cento no dado anterior.

As maiores altas individuais de preços foram de limão, leite longa vida, aluguel residencial, mamão papaia e pimentão. As principais quedas foram de alho, batata-inglesa, cebola, sardinha fresca e pescada-branca.

(Reportagem de Vanessa Stelzer)

Tudo o que sabemos sobre:
INFLACAOIPCSATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.