Após ataque em cinema, campanha presidencial nos EUA muda de rumo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu rival Mitt Romney cancelaram na sexta-feira os discursos de campanha presidencial e algumas propagandas com críticas mútuas, substituindo-as por manifestações de pesar pelas vítimas do ataque letal no Colorado.

RICHARD COWAN E ALISTER BULL, Reuters

20 de julho de 2012 | 15h09

Segundo relato de assessores de Obama no início da manhã, o presidente voltaria para Washington depois de falar sobre o incidente em um evento em Fort Myers, na Flórida.

Um atirador usando uma máscara de gás e um colete à prova de balas matou 12 pessoas em uma première do novo filme do Batman, com início à meia-noite, em um subúrbio de Denver na madrugada de sexta-feira. Ele provocou o caos ao lançar um tubo de gás na sala de cinema e abrir fogo contra a plateia.

"Tenho certeza de que muitos de vocês são pais que tiveram a mesma reação que tive quando soube da notícia", disse Obama à multidão. "Minhas filhas vão ao cinema. E se a Malia e a Sasha estivessem no cinema como fazem tantas crianças diariamente?"

"Espero que todos vocês tenham a população de Aurora em seus corações e mentes hoje. Que Deus lhe dê conforto e consolação nos dias difíceis que estão por vir", disse ele.

O presidente deveria falar mais tarde na sexta-feira em um segundo evento de campanha em Winter Park, na Flórida.

A primeira-dama Michelle Obama e o vice-presidente Joe Biden também cancelaram a participação em eventos de campanha no dia.

Romney divulgou um comunicado dizendo que estava "triste com a notícia da violência sem sentido" no Colorado e afirmou esperar que o atirador "seja levado rapidamente à Justiça'.

A campanha dele retirou anúncios no Colorado e cancelou a participação de sua mulher em eventos.

O caso ocorre a cerca de quatro meses antes da eleição geral de 6 de novembro.

A porta-voz da campanha de Obama, Jen Psaki, que viajava com o presidente na Flórida, afirmou que a campanha "pediu aos afiliados que retirem as propagandas por enquanto. Leva um tempo para as estações conseguirem fazer isso, mas estamos fazendo todo o esforço."

Obama falou ao telefone com o governador do Colorado, John Hickenlooper, para saber notícias atualizadas do incidente enquanto viajava para o evento em Fort Myers, informou a Casa Branca.

(Reportagem de Laura MacInnis)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOCAMPANHAREPERCUTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.