Atropelamento do filho de Cissa continua culposo

Em decisão anunciada nesta terça-feira, 16 a Justiça do Rio manteve a acusação de homicídio culposo (sem intenção) de trânsito contra Rafael Bussamra, que em 2010 atropelou e matou Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, dentro de um túnel na Gávea (zona sul do Rio).

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

16 de julho de 2013 | 23h21

O Ministério Público defende a tese de que o atropelador assumiu o risco de causar o acidente, porque estava trafegando por uma via fechada para manutenção. Para a Promotoria, o crime deve ser classificado como homicídio doloso (intencional), hipótese em que Bussamra iria a júri popular. Ainda é possível recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF). Bussamra havia sido denunciado por homicídio doloso, mas, em julho de 2012, a 2ª Vara Criminal do Rio alterou a classificação para o tipo culposo. O MP tenta mudar a decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.