Austeridade fiscal tem limites, diz Dilma na Espanha

A presidente Dilma Rousseff criticou neste sábado, na Espanha, o excesso de rigor fiscal como receita para os países em dificuldades financeiras se recuperarem.

Reuters

17 de novembro de 2012 | 11h28

Em discurso durante a Cúpula Ibero-Americana, na cidade de Cádiz, a presidente brasileira afirmou que a austeridade fiscal tem efeitos limitados se não for combinada com crescimento econômico.

"O Brasil vem defendendo, inclusive no âmbito do G20, que a consolidação fiscal exagerada e simultânea em todos os países não é a melhor resposta para a crise mundial - e pode, inclusive, agravá-la, levando a uma maior recessão", afirmou ela, em discurso preparado para a Cúpula. "Confiança não se constrói apenas com sacrifícios", acrescentou.

Segundo ela, políticas só enfatizam a austeridade vêm mostrando limites. "

"Em virtude do baixo crescimento, e apesar do austero corte de gastos, assistimos ao crescimento dos déficits fiscais e não a sua redução".

(REDAÇÃO SÃO PAULO; + 55 11 5644-7712)

REUTERS AAP

Tudo o que sabemos sobre:
DILMAESPANHAAUSTERIDADE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.