Bebê de SP com anencefalia receberá benefício do INSS

A menina Marcela de Jesus Ferreira, que nasceu com anencefalia - sem parte cérebro -, em novembro, irá receber um benefício assistencial ao portador de deficiência a partir de setembro. O benefício, no valor de um salário mínimo (R$ 380), será pago pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Marcela, que nasceu em Patrocínio Paulista, na região de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, completou nove meses ontem e é um caso raro na medicina, pois a previsão de vida era de poucos dias. A menina tem parte do encéfalo (cérebro) que a mantém viva. Ela é cuidada pela mãe, Cacilda Galante Ferreira, numa casa da família, na cidade, enquanto o pai e as duas irmãs moram num sítio. Cacilda requisitou o benefício assistencial ao portador de deficiência, ao INSS, em 29 de junho. Ela recebeu a visita da perícia do órgão no dia 6 deste mês e uma carta chegou no sábado avisando que a filha receberia o benefício a partir de setembro. O benefício é intransferível e não poderá ser herdado por parentes do deficiente em caso de morte. "Uma nova carta chegará com a informação do dia do pagamento e com a indicação do banco para fazer o saque", disse Cacilda. A mãe utilizará o dinheiro para ajudar a pagar as despesas com a filha: energia elétrica e compras de fraldas, roupas e alimentos. Marcela fica cerca de duas a três horas diárias sem o capacete de oxigênio, que, nas demais horas, fica ligado na energia elétrica.

BRÁS HENRIQUE, Agencia Estado

21 de agosto de 2007 | 16h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.