Belluzzo extrapola e fala em ''matar bambis''

Presidente do Palmeiras fez a declaração, em forma de grito de guerra, durante festa da Escola de Samba Mancha Verde, em outubro

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

26 de novembro de 2009 | 00h00

Luiz Gonzaga Belluzzo tem causado polêmicas com suas declarações. Ontem, mais uma veio à tona: um vídeo na internet mostra o presidente do Palmeiras provocando o São Paulo.

Acesse, veja o vídeo com as declarações de Belluzzo e opine sobre o caso

As imagens são de 17 de outubro, festa de aniversário da Escola de Samba Mancha Verde. No palco, Belluzzo grita exaltado "Vamos matar os "bambis", eles já morreram hoje. Palestra, Palestra, Palestra!".

O evento ocorreu horas depois de o São Paulo perder para o Atlético-MG por 1 a 0, no Morumbi. Naquela rodada, o Palmeiras liderava com 54 pontos - cinco a mais do que o rival paulista, em 4º. No dia seguinte, o Alviverde enfrentou o Flamengo em casa e podia colocar larga vantagem - perdeu por 2 a 0 e, nos seis jogos seguintes, conquistou apenas mais cinco pontos e caiu para a quarta colocação.

O presidente afirma que nunca quis incitar a violência e o discurso foi apenas uma brincadeira. "Falei no sentido futebolístico, no sentido figurado", explicou. "Eu estava lá com minha família, com minha filha. Foi uma festa da escola de samba, não da Organizada. Convidei até o presidente do Flamengo, que estava comigo no dia." Belluzzo, porém, sabe que foi mal interpretado. "Eu não posso fazer nada, cada um interpreta de um jeito. Mas não incitei a violência em nenhum momento."

Torcedor apaixonado, Belluzzo tem se complicado por causa de suas declarações. Na semana passada, levou suspensão de nove meses por ter ofendido o árbitro Carlos Eugênio Simon, que anulou um gol legal de Obina contra o Fluminense (1 a 0 para os cariocas, no dia 8). O Superior Tribunal de Justiça Desportiva proibiu o cartola de exercer sua função por 270 dias. "Não posso falar de futebol, mas tudo relacionado às questões financeiras eu continuo assinando", afirmou ontem.

Belluzzo já provocou o São Paulo em outras ocasiões. Quando o rival começou a se recuperar após vários tropeços, avisou que o Palmeiras não tinha "medo do Jason". "Nós vamos para o pau", falou, sobre o clássico que estava por vir (0 a 0, em 30 de agosto). Em outra declaração polêmica, disse na semana passada que a imprensa ajudou a formar a ditadura do Brasil.

A oposição está irritada com as atitudes do presidente. Dizem que ele está "manchando" a imagem do clube. Conselheiros começaram a articular um impeachment, não concordando com as contas da atual administração. Até alguns diretores manifestaram insatisfação com os últimos fatos. Belluzzo já não tem tanto voto a favor no Palestra Itália como tinha no começo do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.