Besouro é usado contra mosca que ataca bovinos

Na Praterra Agropecuária, em Rosário Oeste (MT), o gerente-geral, Caio Augusto Barbosa, diz que não há infestação de mosca-dos-chifres há cinco anos. Desde essa época, a propriedade adotou o controle do inseto com o besouro Digitonthophagus gazella, ou rola-bosta. "Construímos um viveiro em 2002 para os besouros." Hoje, eles já ocorrem naturalmente nos pastos. Como se alimentam de esterco, ingerem as larvas das moscas-chifres, originadas dos ovos ali depositados pelas moscas. "Tomamos cuidado para que o carrapaticida não mate o besouro." Na época de chuva, quando a infestação aumenta, as fazendas fazem pelo menos duas aplicações de inseticidas por mês. "Sem a mosca, os animais ficam menos irritados e produzem mais." MENOS QUÍMICOS "O rola-bosta, de origem africana, já está presente no País há mais de 20 anos", diz a pesquisadora aposentada da Embrapa Cerrados, Thelma Saueressig. Segundo ela, o besouro reduz em até 40% o uso de químicos. "Estes produtos favorecem a resistência da mosca", diz.Além disso, há o impacto ambiental e a redução de inimigos naturais da mosca. "Ideal é aliar o controle natural ao químico." Thelma é professora da Faculdade de Ciências Agrárias do Planalto Central (Agroplac), onde há um núcleo de criação massal do besouro. "É uma colônia com 120 baldes em produção; cada balde produz, em média, 100 exemplares de besouros por mês." A recomendação de controle é que sejam utilizados 100 casais de besouros/hectare.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.