Butantã prepara testes de vacina contra dengue

O Instituto Butantã espera iniciar em um mês em São Paulo os testes em voluntários para o desenvolvimento de uma vacina brasileira contra o vírus da dengue. A expectativa é de que até 2015 o medicamento seja colocado à venda no País.

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2012 | 03h03

O médico imunologista Jorge Kalil, um dos responsáveis pela vacina, diz que o início dos primeiros testes com seres humanos depende apenas da liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Esta é a segunda fase da pesquisa, que teve início a partir de um produto desenvolvido desde 2005 em laboratórios norte-americanos. "Pretendemos iniciar em 30 dias essa nova etapa, que deve se prolongar pelos seis meses seguintes", afirma Kalil.

Ele explica que a terceira fase será aleatória, com testes cegos em pessoas expostas a áreas com altos índices de casos de dengue, em experimentações que vão durar outros seis meses. "Depois disso, se tudo ocorrer como o planejado, enviaremos um dossiê para os órgãos de saúde para posterior aprovação", afirma Kalil.

No País, porém, há outra vacina sendo testada. O laboratório francês Sanofi Pasteur atua em cinco capitais brasileiras (Campo Grande, Fortaleza, Goiânia, Natal e Vitória) para verificar os efeitos, que até o momento têm sido parciais - o medicamento mostrou capacidade para proteger contra três das quatro cepas virais causadoras da doença. Caso seja aprovada, a vacina do laboratório francês poderá ser colocada no mercado em 2014.

O Instituto Butantã acredita que, por ser desenvolvida em boa parte no País, a vacina brasileira possa ter um custo inferior. O único método atual de prevenção contra o vírus é combater o mosquito Aedes aegypti com inseticidas (popularmente chamados de fumacê) e com a eliminação dos focos de propagação da doença, em águas paradas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.