Califórnia declara fumaça de cigarro poluente do ar

A Califórnia se tornou o primeiro Estado americano a declarar a fumaça de cigarro como um poluente do ar nesta quinta-feira, ligando-a ao câncer de mama. Especialistas declararam que a decisão deve ter mais impacto ao redor do mundo do que no Estado, que já possui uma forte política antitabagismo. A decisão tomada pelo Conselho de Recursos de Ar da Califórnia coloca fumaça de tabaco na mesma categoria que o diesel, arsênico e benzeno. A decisão, unânime, baseou-se em um relatório divulgado em setembro que mostrou que o risco de câncer de mama aumenta sensivelmente em mulheres expostas à fumaça de cigarro. Há conexão também entre o cigarro e o nascimento prematuro, asma, problemas de coração, outros tipos de câncer e muitas doenças em crianças."Se as pessoas levam o câncer de mama a sério, ela terão que lidar com o fumo passivo. É disso que estamos falando", disse o médico Stanton Glantz, diretor do Centro de Controle, Pesquisa e Educação de Tabaco na universidade da Califórnia. "Este é um documento internacional importante. É impossível menosprezá-lo". Muito do esforço inicial será concentrado na educação pública, disse Paul Knepprath, vice-presidente de relações governamentais Associação Pulmonar Americana da Califórnia.Segundo Knepprath a associação tentou, sem sucesso, aprovar uma lei que proibiria o fumo em automóveis com crianças, e poderá tentar outra similar no próximo ano.A associação também pretende criar andares de não fumantes em prédios residenciais, assim como já existem nos hotéis.

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2006 | 16h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.