Cidade libera sacolinhas e proíbe caixas de papelão

Vereadores de Franca (SP) aprovaram um projeto de lei que obriga os estabelecimentos comerciais da cidade a fornecer sacolas plásticas. E proíbe o uso de caixas de papelão como alternativa para embalar produtos. Quem não obedecer à determinação, que ainda necessita da sanção do prefeito Sidnei Rocha (PSDB), pode ser multado e, após uma reincidência, ter o alvará cassado.

RENE MOREIRA, Agência Estado

14 Março 2012 | 19h22

A medida vale para supermercados, varejões, padarias e outros negócios do tipo. Mas ficam fora da lei os estabelecimentos que contarem com menos de três caixas registradoras. O PL obriga os estabelecimentos a colar cartazes alertando sobre a importância da preservação ambiental e a ter empacotadores nos caixas.

Em Franca, quase todos os locais têm se negado a fornecer as sacolinhas. Marcelo Valim (PSDB), um dos autores do projeto, citou o caso de um supermercado que forneceu uma caixa para o consumidor guardar as compras. "Mas, antes, ele teve de tirar os ratos e baratas que estavam nela". O presidente da Associação dos Supermercados de Franca e Região, Carlos José Pereira, negou que isso ocorra na cidade e considerou o projeto um retrocesso.

Mais conteúdo sobre:
ambientesacolas plásticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.