Cientistas encontram rastros de mamífero ovíparo ''extinto''

Animal da Papua Nova Guiné foi nomeado em homenagem a naturalista britânico.

BBC Brasil, BBC

16 Julho 2007 | 10h20

Cientistas encontraram na Papua Nova Guiné uma espécie de eqüidna, mamíferos que põem ovos, que se julgava extinta. Em uma recente visita às Montanhas Ciclope, os pesquisadores descobriram tocas e trilhas feitas pela eqüidna de bico longo. A equipe de pesquisadores vai voltar à Papua Nova Guiné em 2008 para tentar encontrar e fotografar o animal. A expedição de um mês de cientistas da Sociedade Zoológica de Londres (ZSL, na sigla em inglês) envolveu uma viagem a partes das montanhas cobertas por floresta fechada, que permaneciam inexploradas nos últimos 45 anos. A espécie é conhecida dos biólogos apenas por um exemplar de 1961, que está em um museu da Holanda. Não era feito um registro deste animal desde que um botânico holandês coletou o único exemplar conhecido nas florestas das Montanhas Ciclope, em 1961. Como resultado pensava-se que a eqüidna Zaglossus attenboroughi - que tem o tamanho de uma caixa de sapatos - estava extinta. Mas enquanto a equipe Edge esteve na área, eles falaram com as tribos locais que afirmaram que viram a criatura em 2005. Os cientistas também descobriram buracos, provavelmente feitos pelo nariz da eqüidna no chão enquanto procuravam comida. O nome científico do animal é uma homenagem ao naturalista britânico David Attenborough. "Esperamos que David Attenborough fique satisfeito em saber que a espécie nomeada em sua homenagem ainda sobrevive nas florestas da Papua Nova Guiné", disse Jonathan Baillie, gerente do programa de Espécies de Evolução Distinta e Globalmente Ameaçados (Edge, na sigla em inglês). "A eqüidna de Attenborough é um dos cinco membros dos monotrêmatos (mamíferos que põem ovos) que habitaram a Terra no tempo dos dinossauros", escreveu Jonathan Baillie no blog do programa. "Este grupo inclui o ornitorrinco, o que ajuda a demonstrar como estes animais são diferentes de todos os outros mamíferos", acrescentou. Pouco se sabe sobre os hábitos do animal. Acredita-se que ele tenha hábitos noturnos, cavando para conseguir capturar vermes em meio aos detritos da floresta e então passando o dia descansando em tocas rasas. Quando ameaçada, acredita-se que a eqüidna, que vive sozinha, deixa os espinhos que cobrem seu corpo em pé para se proteger de predadores. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.