Cientistas tentam estimular bactéria a produzir metano

Pesquisadores estudam usar micróbios para ampliar a vida útil de poços de gás metano na Bacia do Rio Powder, nos EUA. Os resultados são "promissores", de acordo com Seth Snyder, do Laboratório Nacional Argonne, um centro de pesquisa do departamento de Energia dos Estados Unidos.Os cientistas querem descobrir se as bactérias que naturalmente geram metano a partir de materiais orgânicos podem ser levadas a produzir o gás mais depressa e por um período maior. A equipe de Snyder fez trabalho preliminar no carvão da região, e testou algumas teorias sobre a química dos micróbios em lodo de esgoto. "Parece que estão aclerando a produção de metano", disse o pesquisador.Agora chegou a hora de testar a teoria nos micróbios do poço de gás.John Wheaton, um hidrogeólogo, e Jay Gunderson, geólogo, coletaram amostras de micróbios de poços que estão sendo perfurados pela Nance Petroleum Corp. A conservação das bactérias é difícil: elas vivem em um ambiente anaeróbico - sem oxigênio - e no escuro. A exposição ao ar ou ao sol pode matá-las.Gunderson explica que as bactérias comem o carvão que existe nos poços e produzem metano. Esse processo é "uma reação complexa, que envolve vários passos em toda a comunidade desses micróbios", segundo o cientista.O laboratório Argonne está estudando a biologia dos micróbios e as condições físicas em que vivem, para determinar a situação ideal que ajudará as bactérias a gerar o gás mais depressa.

Agencia Estado,

21 de agosto de 2006 | 16h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.