Cientistas usam luz para detectar infecções em feridas

Cientistas britânicos identificaram uma forma de usar luz para identificar rapidamente a presença de bactérias.A tecnologia poderia ter aplicações variadas como no tratamento de feridas e até em atividades antiterrorismo.A equipe da Universidade de Sheffield está desenvolvendo um kit portátil em que moléculas especialmente produzidas emitem um sinal de luz ao entrarem em contato com bactérias.A esperança dos cientistas é desenvolver o kit nos próximos três anos, que poderia detectar bactérias em diversos lugares, inclusive em casos de ataques com armas biológicas.´Menos de um minuto´A equipe passou cinco anos produzindo estas moléculas grandes, ou polímeros, que se ligam às células.A luz emitida pelas moléculas pode ser colorida ou um tipo de luz imperceptível a olho nu, mas que pode ser identificada com uma lâmpada fluorescente.Segundo a professora Sheila MacNeil, uma das líderes da equipe de cientistas, a tecnologia atual de detecção de bactérias em laboratórios pode levar horas ou até mesmo dias.A detecção com luz poderia ser feita ?em menos de um minuto?, afirma ela.?Eventualmente poderemos dizer se um tipo de ferida está infectada e poderíamos dizer que tipo de bactéria é?, afirma Steve Rimmer, outro cientista do projeto.

Agencia Estado,

12 de março de 2007 | 03h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.