Corrida presidencial uruguaia continua indicando segundo turno, diz pesquisa

As intenções de voto para as eleições presidenciais de 26 de outubro no Uruguai mantiveram-se estáveis durante o último mês, apontando para um cenário de segundo turno entre a coalizão governista, a Frente Ampla, e a legenda de oposição, o Partido Nacional, de acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira.

REUTERS

07 de outubro de 2014 | 09h25

O candidato da coalizão governante de esquerda, Tabaré Vázquez, tem o respaldo de 42 por cento dos eleitores, igual a setembro, de acordo com pesquisa da consultoria Factum.

Ele é seguido pelo candidato de centro Luis Lacalle Pou, que manteve 32 por cento das adesões e, mais atrás, o também opositor Pedro Bordaberry, do Partido Colorado, que continua com 15 por cento.

O total de indecisos foi reduzido a 3 por cento, ante 4 por cento em setembro.

“O que está claro é que o presidente será eleito em novembro, vamos ter um segundo turno”, disse o diretor da Factum, Eduardo Bottinelli, acrescentando que será difícil para o partido governista conseguir obter maioria parlamentar.

(Por Esteban Farat)

Mais conteúdo sobre:
URUGUAIELEICAOPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.