Criação de novas empresas em 2016 bate recorde

Mais de 850 mil novos negócios nasceram entre janeiro e maio no país, maior número já registrado para os primeiros cinco meses de um ano

Estadão PME, O Estado de S.Paulo

28 Julho 2016 | 19h25

Um dos reflexos da crise econômica que assola o Brasil é o aumento de  microempreendedores individuais (MEIs). A principal consequência desse movimento é o surgimento de novas empresas. Entre janeiro e maio de 2016,  o país contabilizou a criação de 851.083 novos negócios. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, trata-se de um recorde para o período.

O número é 3,5% superior ao registrado nos cinco primeiros meses de 2015, quando o indicador apurou 822.519 nascimentos. Em maio deste ano, o indicador detectou a criação de 176.108 novas empresas, aumento de 1,2% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Nos primeiros cinco meses de 2016 o número de MEIs totalizou 683.779, crescimento de 9,9% sobre o mesmo período de 2015. De acordo com o indicador, há um aumento crescente dos MEIs entre todas as naturezas jurídicas apuradas no decorrer dos anos. 

O setor de serviços continuou sendo o mais procurado pelos empreendedores, com a abertura de 585.829 novas empresas no segmento. Em seguida, 242.413 empresas comerciais (28,5% do total) surgiram nos cinco primeiros meses do ano e, no setor industrial, foram abertas 70.661 empresas (8,3% do total).

Em termos de quantidade de nascimentos, nos primeiros cinco meses do ano, São Paulo ficou em primeiro lugar, com 238.837 novas empresas. Minas Gerais em segundo, com 94.499 nascimentos. Na terceira posição, está o Rio de Janeiro, com seus 88.625 novos negócios.

Mais conteúdo sobre:
Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.