Desemprego sobe menos que o esperado em fevereiro

A taxa de desemprego no Brasil atingiu em fevereiro o maior nível desde abril do ano passado, mas ficou abaixo das expectativas do mercado.

REUTERS

26 de março de 2009 | 09h36

A taxa ficou em 8,5 por cento, a mesma de abril de 2008 e acima da leitura de 8,2 por cento em janeiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira. Em fevereiro do ano passado, o desemprego foi de 8,7 por cento.

O mercado esperava uma taxa de 9 por cento, segundo a mediana de 32 previsões colhidas pela Reuters, que variaram de 8,7 a 9,6 por cento.

A população desocupada (1,9 milhão) teve um acréscimo de 51 mil pessoas (2,7 por cento) em relação a janeiro, e uma redução de 29 mil pessoas (-1,5 por cento).

O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado diminuiu em 1,1 por cento sobre janeiro e aumentou em 3,4 por cento sobre fevereiro de 2008.

Segundo o IBGE, na comparação mensal "o contingente de ocupados teve variação significativa apenas na Indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água (queda de 3,2 por cento)". Sobre fevereiro do ano passado, todos os setores ficaram estáveis.

O rendimento médio real dos trabalhadores totalizou 1.321 reais em fevereiro, o que significa uma ligeira queda de 0,1 por cento sobre janeiro, mas uma alta de 4,6 por cento ante igual mês do ano passado.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Texto de Vanessa Stelzer)

Mais conteúdo sobre:
IBGEDESEMPREGOATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.