Dilma sente dores e é internada em São Paulo

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que vem se submetendo a quimioterapia para combater um câncer, foi internada na madrugada desta terça-feira em São Paulo para uma avaliação médica após ter sentido fortes dores nas pernas ao longo da segunda-feira.

REUTERS

19 de maio de 2009 | 07h50

Segundo a assessoria de imprensa do hospital Sírio-Libanês, Dilma deu entrada por volta das 3h apresentando dores "de forte intensidade" nas pernas e foi submetida a um exame de ressonância magnética "que demonstrou normalidade".

Ainda de acordo com a assessoria, Dilma seria submetida a novos exames ao longo desta terça-feira.

Em nota, a Casa Civil confirmou que a ministra viajou a São Paulo na noite de segunda-feira para uma avaliação médica.

Segundo a Agência Brasil, Dilma teria sentido dores nas pernas no final da manhã de segunda-feira. Ela foi medicada e sentiu alívio momentâneo.

Ainda assim, a ministra teria sido aconselhada por seus médicos a seguir para São Paulo para realizar exames no Sírio-Libanês.

Em viagem oficial à China, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi informado do incidente por meio de assessores às 22h50 (horário de Brasília).

Potencial candidata à sucessão presidencial em 2010, Dilma revelou em 25 de abril ter um câncer linfático. No total, ela terá de fazer tratamento quimioterápico a cada três semanas durante quatro meses para combater a doença.

(Reportagem de Fabio Murakawa)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMAINTERNADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.