Dilma vai a evento do PAC e TV estatal tira seu nome do ar

A emissora pública NBR procurou nesta sexta-feira eliminar o nome da pré-candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) quando era citado em discursos transmitidos ao vivo durante evento do governo federal realizado em Ipojuca (PE). A cerimônia contou com a presença da ex-ministra e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

REUTERS

07 de maio de 2010 | 14h25

O expediente da NBR foi utilizado pelo menos cinco vezes, um deles em meio ao discurso do próprio presidente Lula.

Tratava-se da transmissão de cerimônia de lançamento do primeiro navio construído pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef), que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), principal projeto de infraestrutura do governo Lula e que foi coordenado até março por Dilma, então ministra da Casa Civil.

Ao citar o nome da pré-candidata, a imagem da autoridade que discursava era mantida mas o áudio era substituído temporariamente pela voz de em "off" de uma locutora que passava a fornecer as informações mais variadas, como dados da biografia de João Cândido, que dá nome ao navio.

Ficou-se sabendo que ele foi líder da Revolta da Chibata (1910), em que marinheiros rebelaram-se contra a aplicação de castigos físicos no Rio de Janeiro.

Em todas as intervenções, a locução apresentava também o motivo da cerimônia e os nomes das principais autoridades presentes, para em seguida retomar o áudio do discurso da vez.

Antes de interromper o som da fala do presidente Lula, a NBR tirou o áudio por um período de tempo do presidente da Transpetro, Sergio Machado, do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos (neste caso por duas vezes), e do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, todos em citações do nome de Dilma.

(Por Carmen Munari)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMANBR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.