Dólar fecha estável ante real, sob vigilância do BC

O dólar encerrou praticamente estável frente ao real nesta segunda-feira, acomodado no patamar de 2,02 reais. Investidores evitaram realizar grandes apostas diante da vigilância do Banco Central, em um dia de volume reduzido devido ao feriado de Páscoa na Europa.

BRUNO FEDEROWSKI E NATÁLIA CACIOLI, Reuters

01 de abril de 2013 | 17h47

A moeda norte-americana fechou com leve alta de 0,02 por cento, cotada a 2,0220 reais na venda. O giro financeiro na clearing da BM&F ficou em torno de 2,9 bilhões de dólares.

"Acho que o mercado encontrou um patamar confortável", disse o operador de câmbio da Renascença José Carlos Amado. Segundo ele, investidores venderam dólares quando as cotações subiram um pouco durante a sessão.

Diante da recente piora do humor no exterior devido à crise financeira no Chipre, o dólar aproximou-se de 2,03 reais na última quarta-feira, levando o BC a intervir para segurar a valorização da divisa. No mês de março, o dólar acumulou alta de 2,19 por cento.

Além de conter a volatilidade, muitos analistas vêem a ação do BC como parte de uma política de manter o dólar dentro de um intervalo estreito de 1,95 a 2 reais, numa tentativa de conter pressões inflacionárias e, ao mesmo tempo, não prejudicar a indústria.

A possibilidade de eventual intervenção da instituição nos mercados de câmbio segurou oscilações bruscas na sessão desta segunda-feira. Além disso, o feriado de Páscoa na Europa afastou muitos investidores das praças financeiras.

"Hoje, devido ao feriado prolongado na Europa, reduziram a liquidez do mercado", disse o gerente da mesa de câmbio da Advanced Corretora, Celso Siqueira.

Analistas afirmavam que a cautela de investidores diante da perspectiva de atuação do BC deve continuar no curto prazo, reduzindo a volatilidade do mercado mesmo diante de eventuais notícias negativas no exterior.

No entanto, segundo Amado, da Renascença, essa estabilidade deve atrair exportadores, intensificando o influxo de dólares ao país e levando a moeda norte-americana a caminhar naturalmente para níveis mais baixos.

"O exportador, a partir do momento em que perceber que o mercado perdeu volatilidade, vai começar a trazer dólares", disse o operador.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.