Empresa americana lança perucas para cães

Primeiros modelos caninos da marca foram inspirados em cabelos de celebridades.

Da BBC Brasil, BBC

27 Janeiro 2009 | 16h27

Uma empresa na Califórnia criou um novo produto para o mercado de acessórios para animais de estimação: as perucas para cães.As perucas foram criadas em 2007 para um desfile de cães, e os acessórios receberam tantos pedidos que as empresárias Jenny e Crissy Slaughter decidiram começar a produzir as perucas em maior escala.Cada peruca custa, em média, US$ 30 (R$ 69). Atualmente, elas já são vendidas em seis países, e outras empresas americanas passaram a produzir acessórios semelhantes para cães e gatos. As primeiras perucas foram inspiradas nos cabelos de celebridades como Paris Hilton e a modelo Bettie Page. Atualmente, a empresa conta com mais modelos, que incluem uma peruca afro e outras coloridas.Em entrevista à BBC Brasil, Jenny Slaughter, uma das proprietárias da Total Diva Pets, admite que - apesar do sucesso - algumas pessoas consideram as perucas "tolas" e "desnecessárias"."Sabemos que animais não precisam de perucas, mas são acessórios divertidos para cachorros que já têm tudo", afirma.MercadoO mercado de acessórios para animais de estimação vem crescendo de maneira significativa. Marcas famosas como Gucci, Burberry e Louis Vuitton já dedicaram coleções especiais a essa nova moda.Além das perucas, acessórios como sapatos, óculos de sol, coleiras customizadas e roupas também estão disponíveis para os animais de estimação.No Brasil, dados de 2007 da Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (Anfal Pet) indicam que o segmento da indústria e do comércio de produtos para animais de estimação - que inclui medicamentos, alimentos, acessórios e serviços - movimentou US$ 4 bilhões (R$ 9 bilhões).Desse total, a contribuição de acessórios e equipamentos foi de US$ 215 milhões (R$ 498 milhões). Segundo Slaughter, os donos acabam comprando mercadorias que "combinam com a atitude dos animais".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.