'Estadão Noite' traz edição especial sobre os protestos em São Paulo

Jornalistas e especialistas em direito, psiquiatria e ciência política comentam as manifestações

14 de junho de 2013 | 17h54

O "Estadão Noite", exclusivo para tablets que rodam os sistemas operacionais iOS e Android, traz hoje uma edição especial sobre os protestos que pararam São Paulo nos últimos dias. São seis artigos que analisam as manifestações, o comportamento da polícia e os impactos do movimento na vida urbana, escritos por especialistas em direito, ciência política, psiquiatria e jornalistas. A edição também trará dez fotos, feitas por profissionais de O Estado de S.Paulo, sobre os conflitos da noite de ontem.

O repórter Bruno Paes Manso, do 'Estado', analisa o que viu nas ruas da capital paulista no protesto de ontem, com destaque para a violência policial.

 

Daniel Martins de Barros, colaborador do 'Estado', que é coordenador médico do Núcleo de Psiquiatria Forense e Jurídica do Hospital das Clínicas, fala sobre a "psicologia das multidões" e os fatores de risco que causam a perda de controle em protestos como os desta semana.

 

O diretor da Sucursal Rio de O Estado de S.Paulo, Marcelo Beraba, traz uma análise política dos movimentos de protesto. Para ele, os manifestantes não têm com quem negociar - os governos não estão preparados e os partidos permanecem alijados da questão.

 

Renato Janine Ribeiro, professor de Ética e Filosofia Política da USP, analisa a falta de preparo da Polícia Militar de São Paulo que, para ele, retrocedeu na forma de conduzir a segurança de protestos como estes. "A corporação trata descontentes como trata bandidos", diz.

 

O professor da Faculdade de Direito da USP e FGV, Rafael Mafei Queiroz, comenta a questão da autoridade por trás da violência policial. Ele diz que as agressões gratuitas cometidas pelos PMs só podem ter um motivo: o consenso de autoridades autorizando a violência desproporcional. E toca em outro ponto importante: o silêncio do Ministério Público.

 

Carlos Melo, cientista político do Insper, analisa os protestos à luz da transformação vertiginosa, tecnológica, econômica e social do mundo de hoje - que, para ele, faz com que as sociedades encontrem dificuldades em achar canais para representação e discussão política.

 

O 'Estadão Noite' estará disponível para download a partir de 20h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.