EUA investigam sumiço de mãe de cinco que saiu de casa para alugar DVD

Wazinah Suleiman saiu deixando sozinhos os filhos de 6 a 12 anos, mas nunca chegou à locadora.

BBC Brasil, BBC

14 de abril de 2011 | 08h15

As autoridades do condado da Geórgia, nos Estados Unidos, estão investigando o desaparecimento, sem motivo aparente, de uma mãe de cinco filhos na última sexta-feira.

Wazinah Suleiman, de 30 anos, nunca mais foi vista depois que saiu de casa dizendo que iria alugar um DVD no supermercado Walmart de Cartersville, no condado de Bartow.

O marido, Abed Suleiman, disse ter descoberto o desaparecimento da esposa quando voltou para casa, após o cancelamento de uma viagem, e não a encontrou na residência.

Wazinah, que trabalhava como assistente em uma creche, havia deixado sozinhas as crianças de 6, 7, 10, 11 e 12 anos do casal.

Mistério

Em sua versão contada à polícia e à imprensa, Abed disse que jantou com a mulher e os filhos na noite do desaparecimento.

Depois do jantar, ele e um amigo viajaram para caçar perus no estado de Kentucky, mas deram meia-volta após descobrir que a temporada de caça ainda não havia sido aberta.

O marido contou que, ao chegar em casa e não ver a esposa, tentou ligar para o telefone celular dela algumas vezes, mas ninguém atendeu.

Em vez disso, segundo a rede de TV CNN e o diário local "Atlanta Journal-Constitution", Abed recebeu de volta mensagens de texto grosseiras enviadas do telefone da mulher.

Uma delas dizia: "Está tudo acabado. Vou jogar meu telefone celular pela janela".

Na terça-feira, o carro de Wazinah foi encontrada em um estacionamento às margens de uma rodovia do condado vizinho de Cherokee.

A polícia disse não considerar o marido como suspeito.

Entretanto, o xerife de Bartow, Clark Millsap, disse no programa "Good Morning America", da rede ABC, que considera "difícil de acreditar" que a mulher tenha decidido desaparecer por conta própria.

Em uma entrevista ao programa policial Nancy Grace, do canal HLN, o marido negou que haja razões para considerá-lo suspeito do crime e afirmou que "fará qualquer coisa" para colaborar com as investigações.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.