Ex-banqueiro passa detalhes de 2 mil contas para o site WikiLeaks

Julian Assange diz que dados vão ser entregues para autoridades, após serem checados.

BBC Brasil, BBC

17 de janeiro de 2011 | 16h15

Os dados foram transferidos em um evento em Londres

Um ex-banqueiro suíço entregou nesta segunda-feira detalhes bancários de 2 mil pessoas ao fundador do site WikiLeaks, Julian Assange.

Acredita-se que as informações fornecidas por Rudolf Elmer em dois CDs possam começar a ser disponibilizadas no WikiLeaks dentro de duas semanas, após serem checadas.

Elmer deve ir a julgamento na quarta-feira na Suíça por quebra das regras que regem o sigilo bancário do país.

Ele foi demitido do banco suíço Julius Baer em 2002 após dar ao WikiLeaks informações sobre evasão de taxas e suposta obstrução de evidências em processos criminais.

Dados

Os dados cobrem multinacionais, empresas financeiras e indivíduos ricos de vários países no período de 1990 a 2009, de acordo com o jornal suíço Der Sonntag.

Na entrevista coletiva em Londres, onde ocorreu a transferência dos dados, Assange disse que as informações devem ser entregues para autoridades, após serem checadas.

O ex-banqueiro Elmer disse que existe uma sofisticada rede para desvio ilícito de dinheiro.

"Sou contra o sistema. Sei como ele funciona", disse ele.

Baer, que trabalhou como responsável pelas operações do Julius Baer nas Ilhas Cayman, disse que ele e sua família vêm sendo bastante pressionados desde que começou a denunciar as operações.

Ele disse ter sido detido por 30 dias por violar leis bancárias suíças e que lhe foi oferecido dinheiro para que parasse de divulgar denúncias.

Baer disse recebeu os dados de várias fontes, que manteria no anonimato, e que ofereceu as informações ao governo alemão, mas não recebeu resposta.

O banqueiro disse que não violou leis bancárias suíças, já que as informações se referem a contas nas ilhas Cayman, fora da jurisdição suíça.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.