Fabricantes de material de construção pedem desoneração à Fazenda

Representantes dos fabricantes de material de construção e de construtoras se reuniram com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta quarta-feira para pedir desonerações tributárias, afirmou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), Walter Cover.

Reuters

08 de agosto de 2012 | 21h36

Os fabricantes de material e as construtoras pedem ao governo o fim do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para vidros, pisos e metais usados em obras de acabamento. O IPI desses itens varia de 5 por cento a 10 por cento.

"A redução do IPI está em estudo, mas falta o governo avaliar o impacto", declarou Cover.

O presidente da Abramat disse também que o setor abriu negociação com a Fazenda para que os fabricantes de material sejam beneficiados com a desoneração da folha de pagamento.

Segundo Cover, Mantega não alegou limitações fiscais para conceder o benefício, mas solicitou a apresentação de estudos setoriais para que a equipe técnica da Fazenda possa analisar a possibilidade da desoneração.

No início deste mês, mais 11 setores da economia foram favorecidos com a desoneração tributária sobre a folha de pagamento e a adoção de uma alíquota sobre o faturamento bruto das empresas.

Cover fez ainda uma avaliação positiva da decisão do governo de reduzir de 2 por cento para 1,4 por cento ao ano a taxa de juros da linha de crédito Construcard, da Caixa Econômica Federal. Essa linha de crédito direcionada à construção e à reforma não é nova, mas foi reformulada em julho.

O Construcard possui 5 bilhões de reais em recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Cover disse ainda que as vendas de material de construção caíram 2 por cento no ano até julho. Ele avaliou que o desempenho das vendas deve melhorar no restante do ano em consequência da melhora do crédito para o consumo.

(Reportagem de Luciana Otoni)

Mais conteúdo sobre:
MACRODESONERAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.