Falsos clientes roubam joalherias em shopping

Duas joalherias foram roubadas no Shopping Ibirapuera, em Moema, zona sul de São Paulo, no fim da tarde desta sexta-feira. Os roubos aconteceram simultaneamente em dois andares diferentes do centro de compras. Os assaltantes usaram a mesma tática: fingiram que eram consumidores para se aproximar dos lojistas e atacaram.

TIAGO DANTAS, Agência Estado

12 de julho de 2013 | 20h53

Até as 21h de nesta sexta-feira, nenhum suspeito havia sido preso. Os falsos clientes chegaram ao Ibirapuera por volta das 17h15. Os alvos foram a joalheira Monte Carlo Jóias e The Graces. Testemunhas contaram à polícia que, após mostrar interesse em alguns produtos das lojas, os casais sacaram armas e anunciaram o assalto.

A funcionária de uma das joalherias disse que os ladrões perguntavam pelo cofre da loja. Outros impediram que os funcionários acionassem os alarme ou avisassem a segurança. O shopping informou que "não houve disparo de tiros ou reféns".

Após recolher algumas peças, os grupos saíram em direção à porta dos fundos do centro de compras, que dá para a Alamedda dos Jurupis. A Polícia Militar informou que três veículos foram usados na fuga - um deles é um Toyota Corolla prata. Um suspeito teria fugido à pé pela Avenida Ibirapuera, em direção à Avenida Moreira Guimarães, ainda segundo informações de testemunhas. O shopping disse que já colabora com as investigações. Policiais do 27.° DP (Campo Belo) querem saber se alguma câmera gravou a ação dos bandidos.

Ataques

Este foi o terceiro assalto ocorrido dentro de shoppings da capital só no mês de julho. Em um dos casos, no dia 2, os criminosos também se apresentaram como um casal interessado em comprar joias antes de anunciar o roubo na joalheira Sayegh do MorumbiShopping, zona sul, abrindo caminho para cinco pessoas armadas com metralhadora e fuzil.

Doze horas depois, a loja de eletrônicos A2you, no Shopping Pátio Paulista, foi alvo de ladrões. Em 9 de fevereiro, outra joalheria do Ibirapuera havia sido roubada. Quatro pessoas invadiram a Sayegh e fizeram os funcionários reféns.

Mais conteúdo sobre:
assaltojoalherias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.