Fórum dos leitores

LULOPEEMEDEBISMO

O Estado de S. Paulo

04 de outubro de 2015 | 05h00

'NOVO' GOVERNO

Alguém sabe por que a Dilma não abdica? PMDB na Presidência é o que falta na História do Brasil na era do Real.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

PIXULECO NA REFORMA

Em sua reforma, faltou a presidente Dilma decretar um profundo corte no pixuleco em todas as transações de seu governo. Além disso, alguém precisa explicar ao novo ministro da Saúde que se a CPMF vai trazer muito dinheiro para ele é porque vai tirar muito dinheiro de todo os brasileiros. A patética reforma que a presidente Dilma fez deverá render apenas algumas semanas a mais antes do inevitável impeachment.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarilafilho@me.com

São Paulo

*

O BRASIL ESTÁ PERDIDO

Agora que contrataram o Lula como inventariante de massa falida, o político desastrado que levou o País a esta situação falimentar, o Brasil está perdido. A disputa pela migalha que restou vai ser briga de foice no escuro.

TOSHIO ICIZUCA

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

O POSTE APAGOU

Tristemente, assistimos a mais um poste da coleção do guru de Garanhuns sucumbir, literalmente. No caso, a presidenta, pois há outros - Fernando Haddad, Alexandre Padilha, Renato Duque, Guido Mantega, etc. - que também jamais tiveram luz própria e ajudaram a desorientar o País neste apagão sem fim. Dilma Rousseff primeiro entregou a alma ao capeta para se reeleger, agora entregou o governo e seus ministérios ao “inocente e patriótico” PMDB. Ali, ilustres figuras como Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Romero Jucá, Jader Barbalho e José Sarney, entre outros, vão tentar fazer o rescaldo de uma nação desmoralizada, além de arruinada economicamente. Jamais se viu o País entregue em mãos tão suspeitas, sem contar as sucessivas decisões polêmicas do Judiciário. O maior perigo do momento é tentarem apagar o único farol de proa, Sergio Moro. Rezemos.

JOÃO BATISTA PAZINATO NETO

pazinato51@hotmail.com

Barueri

*

PAÍS DO SUPOSTAMENTE

Supostamente nossa presidente foi eleita democraticamente, afinal, temos urna supostamente inviolável. Supostamente ela é a chefe do Executivo, mas é supostamente dirigida pelo Lula; supostamente, porém, quem manda no País é o PMDB, que supostamente só resolveu apoiá-la depois de receber de presente sete ministérios. Ainda temos os deputados e senadores que são da oposição - supostamente, é claro. Eu pergunto a todo cidadão honesto: supostamente devemos mesmo acreditar nessa gente, que supostamente pensa em se eleger novamente? 

WILSON MATIOTTA

loluvies@gmail.com

São Paulo

*

PARLAMENTARISMO

Embora por negociatas escusas e vias tortuosas, a proposta do senador José Serra (PSDB-SP) de parlamentarismo acaba de ser concretizada. Resta agora saber se a eminência parda que retomou o poder federal entregou o cargo de primeiro-ministro ao sr. Jaques Wagner, pessoa de sua confiança, ou se fica para elle mesmo. A rainha reina, mas não governa.

SERGIO DE SOUZA

selfasouza@gmail.com

Santo André

*

CAVALO DE TROIA

Que Dilma não governa já sabemos. Mas Lula querer determinar o novo Ministério não seria só para mostrar força, mas, sim, a formação de um aparato de escudos de confiança para que não o chamem a depor. Muitos mitos totalitários já se passaram: Stalin, Hitler, Mussolini, Fulgêncio, Chávez, Vargas, etc. E agora vem um caudilho Macunaíma que enterrou o Brasil dizer que eliminou a pobreza, quando, na verdade, só vemos desemprego, inflação, carestia, fuga de capitais, corrupção, fome, desvios... Não é isso que queremos! Queremos, sim, é que ele seja investigado, para que o coronelismo se erradique, e não volte mais a mentir para se perpetuar no poder.

NELSON SCATENA

nelson.scatena@hotmail.com

São José dos Campos

*

PREOCUPANTE

Pelo visto, Lulla já se adonou do poder. Dilma jogou a toalha e, finalmente, engoliu o orgulho e reconheceu sua incompetência. Enfim, passou a vara para quem não governa de direito, mas sempre, insidiosamente, tem procurado governar de fato. A vaidade agora é retornar à repetição da “matriz econômica” que resultou na crise atual. Por que o ex-presidente não se coloca na sua verdadeira posição? Será que nunca entrará na cabeça dele que o seu tempo passou? O que pretende ele numa situação-limite em que um simples gesto nebulosamente interpretado pode agravar ainda mais o impasse em que o País se encontra? Alguém precisa dizer a esse homem que ele está na corda bamba e não tem essa moral toda para se intrometer em assuntos que não lhe dizem respeito. Sua biografia está comprometida com investigações a respeito de um obscuro esquema de lobby para favorecer a indústria automobilística, além de faltar-lhe argumento convincente para explicar sua fortuna e a de seus filhos. Até porque quem enriquece na política tem sempre um dedo acusador apontado para a sua cara. Saia de cena, Lulla. “Ninguém costura um remendo de pano novo numa roupa velha, porque esse pedaço rompe a roupa e o rasgão fica maior” (Mat., 9:16).

MARIA DA GLORIA DE ROSA

mg-de-rosa@hotmail.com

Agudos

*

FAZ SENTIDO

Essa denúncia sobre a compra da medida provisória (MP) das montadoras explica muita coisa. Além de jogar luz sobre as razões de ainda não termos uma montadora nacional, insinua algo mais grave: o fato de uma medida posterior, a MP 627, cinco anos depois, ter prorrogado o benefício ao Grupo CAOA, isentando-o em cerca de R$ 1 bilhão por ano. A MP 627, que trouxe de contrabando essa prorrogação, chamou a atenção, bem como o fato de a presidente Dilma ter tido um encontro uma semana antes da sanção com o presidente do Grupo CAOA, em evento do qual participaram. O resto fica para sua imaginação.

EDUARDO MELLO

eduphone1@gmail.com

São Paulo

*

BOTANDO FALAÇÃO

Lula depondo na Lava Jato? A Polícia Federal vai ter de pagar, no mínimo, R$ 300 mil. É quanto ele cobra por palestra!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

GOVERNO SOB INTERVENÇÃO

Dilma Rousseff anunciou, na sexta-feira, o corte (ou fusão de pastas) de 8 ministérios. Isso diminuirá as despesas do governo? Duvido. O ex-presidente Lula, com a reforma ministerial, acaba de vez de assumir o comando governamental - a meu ver, teme ser pego em alguma armadilha ou falcatrua.  Resta saber se terá explicação a suspeita de que a Medida Provisória (MP) 471, assinada por Lula com aval de Dilma, então ministra da Casa Civil, e que na época prorrogou incentivos fiscais às montadoras de veículos, foi comprada por meio de lobby que, comprovadamente, favoreceu um filho do ex-presidente. Uma jogada de compadrio. Enquanto isso, Dilma edita normas para evitar novas pedaladas fiscais e, sutilmente, pedir ao Tribunal de Contas da União (TCU) que aprove suas contas de 2014. Conseguirá?

Julio Jose de Melo 

julinho1952@hotmail.com 

Sete Lagoas (MG)

*

DE VOLTA ÀS PÁGINAS POLICIAIS

Erenice Guerra e Gilberto Carvalho voltam às páginas policiais dos jornais no mais novo escândalo das montadoras que pagaram propina para receber isenções fiscais. Claro que Lula e Dilma também estão na história. Na visão do estadista Luiz Inácio Lula da Silva, governar é sinônimo de extorquir. Afinal, se o governo concede um benefício para as montadoras saírem da crise, nada mais justo que esse governo leve um "pixuleco" por fora. A gestão do ex-presidente Lula e de seu poste serão eternamente lembradas como a pior administração pública da história da humanidade - nunca antes se roubou tanto, nunca antes uma única pessoa devastou tanto um país, em tempos de paz, quanto Lula devastou o Brasil. 

Mário Barilá Filho 

mariobarila@yahoo.com.br  

São Paulo

*

QUEM É LULA

 

A Medida Provisória de n.º 471, que teve como objeto a prorrogação de incentivos, no governo Lula, para a indústria automotiva, existiu em decorrência de propinas de altos valores a lobistas das empresas, atuantes junto da Casa Civil do governo. É claro que Lula vai dizer que nada sabia sobre a temática e que, certamente, tudo foi feito dentro da maior ética possível. Resulta do apurado pelo "Estadão", como sempre oportuno, que o Ministério Público poderá atuar com inquérito sobre os fatos, cujos resultados poderão dar surgimento a uma denúncia em que figure, como réu, o ex-presidente, por ação ou omissão. Está mais que na hora de mostrar quem é o cidadão que se intitula honesto e pai dos pobres.

José C. de Carvalho Carneiro 

carneirojc@ig.com.br  

Rio Claro

*

DEVE SER LOTERIA

Consultoria é o melhor ramo de atividade no Brasil, para "altas rendas". Foi assim com José Dirceu, que se tornou milhardário, e com o sr. Lula da Silva desde 2004 até hoje, também. Agora ocorre com outro fenômeno, filho de Lula da Silva, Luís Cláudio Lula da Silva, por intermédio da empresa LFT Marketing Esportivo, que recebeu quase R$ 3 milhões de uma consultoria lobista de montadora de automóveis. Eu dou assessoria e consultoria há mais de 50 anos em minha área, na qual me especializei, em cursos superiores, e não acerto uma dessas. Deve ser loteria!  

Celso de Carvalho Mello 

celsosaopauloadv@uol.com.br  

São Paulo

*

QUEM DÁ AS CARTAS

O presidente em exercício, Luiz Inácio Lula da Silva, reconstruiu o núcleo duro do Planalto na reforma ministerial que conduz. Despachou Aloizio Mercadante para a Educação, um ministério sem a menor importância para o governo; colocou no seu lugar o companheiro Jaques Wagner; para a Secretaria de Governo, mandou o fiel companheiro Ricardo Berzoini; e manteve Edinho Silva na Secretaria de Comunicação Social. Ah! Já ia me esquecendo: manteve Dilma Rousseff como presidenta da República.

Abel Pires Rodrigues 

abel@knn.com.br                                     

Rio de Janeiro

*

VERGONHOSO

É vergonhoso ver o que está acontecendo no governo de Dilma Rousseff. Quando era candidata à reeleição, ela vendeu a alma ao diabo, e agora, para não sofrer o impeachment, vende a dignidade do cargo dando todas as resoluções que seriam de sua competência ao ex-presidente e ao PMDB. Distribui os ministérios sem o menor pejo como moeda de troca e sem os critérios técnicos que seriam necessários aos novos donos dos cargos. Não temos mais presidente ou "presidenta", ela própria se despiu do cargo, mostrando sua incompetência e seu medo. 

 

Leila E. Leitão

São Paulo 

 

*

'O GOLPE DE LULA'

Eliane Cantanhêde, em "O golpe de Lula" (2/10, A8), nos chama a atenção para algo que o historiador Marco Antonio Villa também já tinha feito no "Jornal da Cultura": a falta de decência e de princípios morais de Luiz Inácio Lula da Silva, que, juntamente com o despudorado PMDB, atropela a "cumpanhera" Dilma sem dó nem piedade. Não que ela não dê motivos ou não mereça, mas a falta de ética de um indivíduo que se elegeu pela primeira vez justamente com esse mote é desconcertante, mesmo porque a "ressubida" oficial da rampa por Lula - sem que nenhum eleitor fosse consultado - em nada modifica os aspectos negativos tanto da política quanto da economia brasileiras. Os atuais "dirigentes" mostraram apenas negociatas de políticos desqualificados, que ali estão tão somente para defender seus interesses, o que, com muita certeza, irá trombar com o ajuste fiscal. Todo mundo sabe que Lula, bem ao estilo oportunista de venda barata no varejo do estilo "pague um e leve dois (que neste caso, somando o PMDB, leva três)", não está e jamais esteve preocupado com o Brasil ou com o povo brasileiro. A sua única força motriz é a insaciável ganância pelo poder e pela riqueza. Repetindo o epílogo de "Lula volta a ser o 'cara'" (2/10, A3), "que os céus nos protejam!".

Carmela Tassi Chaves 

tassichaves@yahoo.com.br 

São Paulo

*

O FIM DO GOVERNO DILMA

O governo Dilma acabou. A presidente entregou ao seu criador, Lula, os anéis, os dedos e o corpo inteiro. Ela foi apeada do poder por Lula e seus apoiadores. Não perder a Presidência é tudo o que interessa a Lula, por isso Dilma entregou ao PMDB o seu governo. E, para quem não sabe, Lula voltou ao poder, sem nunca ter dele saído e antes mesmo de 2018. Resta saber como a Justiça vai se comportar com tantos escândalos e denúncias envolvendo PT e PMDB. E como vai reagir o eleitor diante de tanta traição. Vai engolir mais uma vez o imbróglio?

Izabel Avallone 

izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

OS GOVERNOS DE COALIZÃO

O Brasil sangra na crise econômica e no desvario da política. Ao mesmo tempo que estamos em recessão, fechando 1 milhão de postos de trabalho no intervalo de 12 meses e com a administração pública naufragada em gastos maiores do que a arrecadação, o governo aumenta impostos e a presidente luta freneticamente contra o impeachment, oferecendo ministérios, cargos e benesses eventuais aliados. Infelizmente, o conceito que se faz de democracia no Brasil é o "liberou geral". Vivemos hoje apenas mais um lance da dramática história política de um país que, como diz a velha música, vive "de deu em deu". Os mesmos se revezam nos escaninhos do poder por décadas, e o Brasil, sempre, é o país do futuro, um futuro que nunca chega. É preciso que as forças da sociedade, acima de partidos e ideologias, busquem sinceramente uma saída para a cíclica crise que nos acomete. Só alcançaremos o verdadeiro grande destino no dia em que os governos não forem mais o resultado de espúrias coalizões e que aqueles que se dispuserem a fazer política a façam para servirem ao País, e não dele se servirem.

Dirceu Cardoso Gonçalves 

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

O QUE VEM POR AÍ

Partindo do princípio de que o eleitor brasileiro, deseducado, não vota em partido, e, sim, em algum paizão, e que em vários bolsões de voto já se constata o descontentamento em relação ao atual governo, contrabalançado pela esperança da volta de Lula, o que representa, segundo a visão dos supostos beneficiados, o retorno aos bons tempos de crédito fácil e populista, tudo isso temperado pelo projeto já disfarçadamente manifestado pelo ex-presidente, de se candidatar em 2018, só resta ao cidadão mais informado e consciente bradar: "Socorro!".

Paulo Roberto Gotaç 

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O BRASIL NÃO AGUENTARIA

Quando se torce para que o pior já tenha passado e pensamos que chegamos ao fundo do poço e que daqui para a frente tudo tende a melhorar, eis que somos surpreendidos com a pior notícia, a se confirmar, que se pudesse imaginar. Lula estuda se lançar pré-candidato à Presidência da República.

 

Luiz Nusbaum 

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

O FÊNIX

"Descobri hoje um grande poder oculto; / Um dom de fênix para renascer das minhas próprias cinzas, / Descobri que a estrada não acabou, ela só tomou um desvio... / 'No meio do caminho tinha uma pedra' / Como em todo caminho tem uma perda / Eu dei o melhor de mim, lutei com as armas que sabia lutar / Fui derrotado, eu assumo. / Apenas FUI. Não sou. Não serei. / E agora? / Levantarei de novo, quantas vezes for preciso(...)" (J. Cavalcanti). Lula volta a ser o cara, segundo o "Estadão" (2/10, A3). Lula surgirá como o grande salvador, como aquele que tomou um desvio na estrada e deparou-se, sem esperar, com uma pedra (a pupila Dilma). Desculpa-se por ter-se enganado, chora por ter sido derrotado, assume seus erros, promete fazer uma revirada na economia e na política, com a garantia de que veremos surgir de novo um Brasil forte e revigorado, como ele, Lula. Graças a uma oposição amorfa, ridícula e covarde, a partidos corruptos aliados a uma presidente confusa e trapalhona, a uma sociedade imersa em dívidas e incertezas, infantilizada e carente de um pai protetor que resolva seus problemas e a um líder inteligente e populista, temos o cenário pronto para que 2018 seja o retorno do cara e do PT para mais um mandato de quatro anos.

Regina Ulhôa Cintra 

reginaulhoa13@outlook.com 

São Paulo

*

LULA QUER SER REI

Depois de várias autocomparações estapafúrdias, Lula fez mais uma. Ao se comparar a Pelé, num ponto ele tem razão. Quando abrem a boca... (lamento, Pelé, meu ídolo futebolístico). Mas o Rei do Futebol, pelo menos, sabe ficar calado na maior parte do tempo, o que o Pelé da política não consegue...

João Paulo Mendes Parreira 

jpmparreira@hotmail.com 

São Caetano do Sul

*

TORTURADOS

O ex volta a dar as cartas, para vergonha da "gerentona". Como o ex só sabe gastar (como todo sindicalista), deixou uma herança maldita para seu poste, que inclui malfeitos de todo tipo. Na economia não se pode colocar incapazes muito menos em época de "vacas magras", como vimos ao longo do primeiro mandato. A plantação de idiotices só poderia resultar em colheita de problemas para nós, enquanto Brasília continua em festa à fantasia. Com um Congresso "vendável" e que tão mal nos representa, corremos o risco de que o poste permaneça até 2018, para infelicidade geral. Presidente, não fomos nós que a "torturamos", poupe-nos.

André C. Frohnknecht 

caxumba888@gmail.com 

São Paulo 

*

MISCELÂNEA POLÍTICA

Nesta altura do campeonato, não sabemos qual será a melhor solução para os gravíssimos problemas que afligem nosso país. Continuando Dilma com o beneplácito do baixo clero do PMDB, dos partidos coadjuvantes sem muita expressão - mas interessados também no "toma lá dá cá", os Ministérios da República, entregues à sorrelfa, para satisfazer os conselhos do guru pernambucano-"grande estadista", sábio manipulador político entre aqueles fáceis de serem cooptados, até poderá dar uma sobrevida à presidente, mas e nós, o povo, as empresas quebrando, os mais de milhões desempregados e inadimplentes, não conseguindo honrar seus compromissos, firmados numa hipotética lambança política financeira, populista e catastrófica, como continuar pagando tributos escorchantes, sem um mínimo de contrapartidas assistenciais? Mas o que mais choca nossa integridade moral, de cidadão eleitor, que se presume ser um pouco inteligente, é ver na primeira página no "Estadão" de sexta-feira (2/10) a figura do "estadista" desfilando soberbo pelos corredores do planalto, como "presidente de fato". Deus salve nosso Brasil e se compadeça de nós, ricos e pobres que ainda são adimplentes, não sabemos até quando.

Aloisio A. De Lucca 

aloisiodelucca@yahoo.com.br 

Limeira

*

'LULA VOLTA A SER 'O CARA''

O mais assustador, lendo o editorial do "Estadão", é saber que para dizer coisas que as pessoas gostam de ouvir não só reduzirão as medidas de austeridade, como gastarão ainda mais com propaganda!

 

Rossana Baharlia 

rbah44@yahoo.com.br 

São Paulo

*

DILMA, RAINHA DA INGLATERRA

Com o comando político do País terceirizado ao PMDB, o lema do governo Dilma Rousseff pode ser resumido a um vergonhoso e humilhante "non duco, ducor'. A que ponto chegamos! 

J. S. Decol 

decoljs@globo.com 

São Paulo

*

MUITO DISCURSO E POUCA AÇÃO

Dilma Rousseff demonstrou mais uma vez que não tem competência para ocupar o posto de presidente da República. Em apenas 274 dias do seu segundo mandato, os ministros foram substituídos diversas vezes e nenhum problema real da União foi resolvido com essas mudanças. Na sexta-feira foram anunciados os cortes de 8 ministérios, 3 mil cargos comissionados e R$ 3.093 dos salários de 33 funcionários. Os contribuintes gostariam de saber o motivo de tais cortes, apenas 9 meses após o início do ano. Em seu discurso, Dilma falou em agilidade, eficiência e profissionalismo. As atitudes do governo são incompatíveis com os discursos de Dilma. Portanto, os problemas mais importantes do país continuam sem solução, pois o interesse político de se manter no poder é maior do que qualquer compromisso de administrar bem o País. 

José Carlos Saraiva da Costa 

jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte (MG)

*

NOVA BANDA

Mais produtiva do que a banda cambial ao governo Dilma Rousseff é a "banda" política, ou seja: o ínclito PMDB deve ter no mínimo 7 ministérios e no máximo todos, para que o País volte à normalidade econômica e política. Os apelos restantes são detalhes sem importância.

 

Mario Cobucci Junior 

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

TODO PODER AO PMDB

PMDB, o Prostituto Mais Desavergonhado do Brasil.

 

Túllio M. Soares Carvalho 

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com 

Belo Horizonte

*

MINHA CASA, MINHA VIDA

Apesar de todos os percalços com o equilíbrio orçamentário, dona Dilma não abre mão do Minha Casa, Minha Vida. Tanto isso é verdade que desalojou Aloizio Mercadante da Casa Civil para dar lugar a Jaques Wagner e atender às vontades do onipresente Lula. O que não se faz pelo poder!

Claudio Juchem 

cjuchem@gmail.com 

São Paulo 

*

FUNCIONÁRIA PÚBLICA

O duro é saber que Dilma Rousseff está ganhando para fazer malfeitos e falar abobrinhas. Numa empresa de mercado, já teria sido demitida há muito tempo.

 

Vitório F. Massoni 

suporte@eam.com.br 

São Paulo

*

TROCA DE MINISTROS

Esta "reforma ministerial" me fez lembrar da minha época de criança: "Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar...".

Ricardo Sanazaro Marin 

s1estudio@ig.com.br 

Osasco 

*

MINISTÉRIO DA DEFESA

O Brasil, mais uma vez, demonstrou ser o País dominado pela incoerência. Como pode a presidente Dilma Rousseff entregar o Ministério da Defesa ao sr. Aldo Rebelo, do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), levando em conta que o comunismo foi a causa principal da "revolução" de 1964? Será que as Forças Armadas foram consultadas ou foi mais uma imposição feita pelo grande chefão, Luiz Inácio, à presidente Dilma Rousseff?

  

Valdy Callado 

valdypinto@hotmail.com 

São Paulo

*

UM COMUNISTA NA DEFESA

Estrategicamente ou não, mera coincidência ou simples conveniência, tem o Brasil do lulopetismo finalmente um ministro comunista na pasta da Defesa. Só espero que o nosso novo ministro realmente defenda, agora no comando de armas, os nossos valores realmente democráticos, e não aqueles do bolivarianismo do século 21, tão arduamente defendidos por seu partido, pelo PT e aliados. Nada para se preocupar ou será este nosso Brasil o eterno país do carnaval?

Renato R. Pierri 

rrpierri@gmail.com

São Paulo

*

INCOERÊNCIA

É um paradoxo ver nossa Forças Armadas comandadas por um comunista. Gostaria que alguém me explicasse...

Antonio C. Flaquer da Rocha 

acflaquer1@gmail.com 

São Paulo

*

O BRASIL NÃO MUDA

É simplesmente vergonhoso um país como o Brasil em dez meses ter quatro ministros da Educação. Os políticos de oposição e os políticos da situação e os que nos governam são todos exatamente iguais. Um bando de incompetentes. Educação tinha de ser política de Estado, e não política de picaretagem. Dá pena pensar nas próximas gerações e no futuro dos jovens de hoje. Seremos nós, brasileiros, verdadeiros burros de carga de outra gente de outros países que nos explorarão em virtude de nossa ignorância em qualquer área do conhecimento humano. Vivemos novamente, e em curto espaço de tempo, uma nova década perdida. O Brasil não muda, essa é que é a nossa dura e triste realidade.

José Piacsek Neto 

bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

SLOGAN

Uma "Pátria Educadora" se faz com três ministros em nove meses.

Cloder Rivas Martos 

closir@ig.com.br 

São Paulo

*

APRENDIZADO

Este ano fomos surpreendidos por fatos de grande impacto e repercussão em nossa vida. Estão sendo importantes para nosso aprendizado. O de maior estupefação foi perder de 7 a 1 para a Alemanha na Copa do Mundo. Nesta partida, um time perdido em campo acabava com o orgulho do brasileiro num esporte em que acreditávamos ser os melhores. A realidade: fomos ultrapassados por técnica melhor, melhor preparação e maior certeza do oponente em suas possibilidades de sucesso. No âmbito econômico, um dólar desvalorizado e preço das commodities exportadas nas alturas nos faziam crer que o sucesso vivido seria permanente, num processo evolutivo sem possibilidade de retrocesso. O governo deveria ter se lembrado de um ditado antigo que diz que "dinheiro não aceita desaforo", quando gastou em obras sobrefaturadas, defendeu o consumo desmedido e benesses econômicas para setores que já eram beneficiados. Para culminar, o loteamento de ministérios numa pretensa reforma, ora em curso, e a subjugação total do Executivo a um partido político de cujas fileiras não pertence determinam o fim da aura, do respeito, da reverência do cidadão ao posto de presidente do País. Entregam-se os anéis, os dedos, as calças e tudo mais pela permanência no poder. 

Sergio Holl Lara 

jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba

*

DESESPERO

Nunca antes neste país e em nenhum outro um ex-presidente se desesperou tanto pelo poder. Perguntar não ofende: o que esconde?

Moisés Goldstein

mgoldstein@bol.com.br  

São Paulo

*

NÃO DEU CERTO

Causou-me estranheza o ranking publicado na edição de quinta-feira do "Estadão" com as melhores universidades do mundo, uma vez que lá apenas encontrei cátedras dos Estados Unidos e da Europa. Algo está errado. Afinal, segundo o PT, o Brasil é a "pátria educadora".

Leonel Lucas Lucariello Filho 

leonellucariello@gmail.com 

São Paulo

*

BRASIL: NOVELA SURREAL

Ministério Público da Suíça encontra US$ 5 milhões em contas de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados. Parlamentares com sede de impeachment de Dilma Rousseff protegem Cunha, que avança sobre o PT e escuda políticos vizinhos. Investigado, Renan Calheiros (PMDB-AL) também recua diante de Cunha, que recebeu de Dilma um ministério para seu "pau-mandado". Alguém ainda tem dúvidas sobre a origem de todos os problemas brasileiros?

Ricardo C. Siqueira 

ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

*

PODER EM JOGO

 

Aquele que sempre quis e ainda quer mostrar-se como um arauto da moralidade, o presidente da Câmara federal, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), está em maus lençóis. A Procuradoria da Suíça já tem conhecimento de que Cunha escondeu dinheiro ilícito, abrindo empresas de fachada para ter contas bancárias no país europeu. Essa estratégia parece não ter dado resultado, pois a trama foi descoberta. Se houver comprovação inquestionável de sua responsabilidade sobre esses atos ilícitos, o pretenso todo-poderoso da Câmara poderá ruir bruscamente de seu pedestal. Aguardemos.

  

Francisco Zardetto 

fzardetto@uol.com.br 

São Paulo

*

EDUARDO CUNHA

E agora, como ficam os que endeusam o atual presidente da Câmara? As recentes denúncias e até bloqueio de seu patrimônio mostram que ele tem muito o que explicar. Por que a oposição, se é que existe, não toma uma atitude contra ele?

Uriel Villas Boas 

urielvillasboas@yahoo.com.br 

Santos

*

NOVO MALUF

Ao que parece, tanto na corrupção quanto na veemente negativa do sr. Eduardo Cunha de que não tem contas no exterior, estamos diante de um novo  Paulo Maluf, cujo caso, aliás, há 20 anos negando ter conta bancária fora do País, não deu em nada. Quisera eu que desta vez fosse diferente. Com a palavra, a Justiça brasileira.

Benedito Antonio Turssi 

turssi@ecoxim.com.br 

Ibaté

*

SIMBIOSE

Por que será que toda vez que eu olho para o Eduardo Cunha eu enxergo o Maluf?

 

Marcos Catap 

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

ESCOLINHA DO PROFESSOR MALUF

Pelo menos "um aluno" nega que tenha dinheiro no exterior. E os outros?

Milton Bulach

mbulach@gmail.com 

Campinas

*

QUE CONTA?

Será que Eduardo Cunha vai se espelhar em Paulo Maluf ? Talvez não tenha tanta sorte.

Luíz Frid 

luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

PROPINAS E CONTAS NO EXTERIOR

Se Eduardo Cunha for preso e aderir à delação premiada, que ninguém chegue perto do ventilador.

Roberto Twiaschor 

rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

INSTITUIÇÕES DESMORALIZADAS

A impunidade de Marco Polo Del Nero, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e de Eduardo Cunha (PMDB/RJ), presidente da Câmara dos Deputados, desmoraliza a Justiça e as instituições do país e nos coloca na ridícula condição de Republiqueta de Bananas, o que é inaceitável e revoltante. Em qualquer país minimamente sério e civilizado, Del Nero e Cunha já estariam fora de seus cargos, condenados e presos pelos crimes cometidos. Já no subdesenvolvido e atrasado Brasil, a dupla segue intocada, livre, leve e solta, como as graves acusações de corrupção e lavagem de dinheiro não fossem com eles. Se as instituições - Ministério Público, Judiciário, Polícia, Tribunal de Contas - não funcionam e não fazem a sua parte, cabe á sociedade brasileira reagir e exigir que a lei seja cumprida e aplicada para todos. O lugar de bandidos é na cadeia e nunca ocupando cargos importantes e de comando no futebol e na política, num péssimo exemplo para a população.

 

Renato Khair 

renatokhair@uol.com.br 

São Paulo

*

A PAULISTA AOS DOMINGOS

Até que enfim uma postura lúcida nesta metrópole administrada por um prefeitinho incompetente e arrogante: o Ministério Público determinou que a Paulista nao seja fechada aos domingos para lazer. As pessoas que procurem os parques da cidade para isso...

Eliana Pace 

pacecon@uol.com.br

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Opiniãofórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.