Gabrielli descarta atraso significativo na entrega de sondas

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, descartou nesta quarta-feira atrasos significativos na entrega das sondas que estão em processo de licitação pela empresa e também para aquelas que já foram licitadas.

REUTERS

08 Junho 2011 | 15h56

Segundo Gabrielli, ainda este ano deverão ser assinados todos os contratos das 28 sondas previstas para a campanha do pré-sal da bacia de Santos.

Sete sondas já foram licitadas. As propostas para as 21 restantes terão que ser entregues à Petrobras até setembro deste ano.

"O prazo é até setembro, três meses (desde junho) não afeta nada o prazo, porque a primeira entrega está prevista para 2015... temos 14 sondas em operação e vão chegar mais 11 até o final do ano", explicou Gabrielli a jornalistas após palestra na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro sobre a demanda por bens e serviços da companhia nos próximos anos.

O vencedor do primeiro pacote licitado, com sete unidades, foi anunciado em fevereiro, após a estatal receber propostas em novembro de 2010, com três meses de atraso.

As sete primeiras sondas serão feitas pelo Estaleiro Atlântico Sul, controlado pela Camargo Corrêa, Queiroz Galvão e a sul-coreana Samsung Heavy Industries.

PREÇOS

De acordo com Gabrielli, o primeiro pacote foi fundamental para a empresa ter uma base do preço dos afretamentos.

"Agora temos a referência para o afretamento no mercado doméstico e acreditamos que a licitação deverá trazer preços competitivos", afirmou.

(Por Denise Luna)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIA PETROBRAS SONDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.