Gasoduto rompido durante chuvas em SC volta a funcionar

O transporte de gás natural para Santa Catarina e Rio Grande do Sul voltou à normalidade às 18 horas desta terça-feira depois da conclusão dos trabalhos no gasoduto rompido pelas chuvas que assolaram o Estado catarinense, informou a Transportadora Brasileira do Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG). "A TBG volta a entregar diariamente, em média, 2,6 milhões de metros cúbicos de gás às companhias distribuidoras SCGás e Sulgás", informou a empresa em um comunicado. Segundo a TBG, essa quantidade é a média diária praticada antes do rompimento do duto. A empresa afirma que o incidente foi causado pela grande quantidade de terra e lama que se movimentou devido às chuvas torrenciais que caíram no município catarinense de Gaspar. Inicialmente, a conclusão dos trabalhos estava prevista para o dia 15 deste mês. No último dia 26, a Bolívia informou ter aumentado o volume de gás direcionado à Argentina por causa do corte do fornecimento provocado pelas chuvas em Santa Catarina. Na ocasião, o ministro de Hidrocarbonetos, Saúl Avalos, disse a jornalistas que o envio de gás à Argentina havia atingido a média diária de 6 milhões de metros cúbicos, contra o habitual 1,5 milhão de metros cúbicos. Até o momento, as fortes chuvas que caíram no mês de novembro deixaram 123 mortos, segundo a Defesa Civil do Estado. Outros 29 permanecem desaparecidos. O número de desalojados e desabrigados está em 33.399 pessoas. Com o pior das chuvas ficando para trás, equipes tentam recuperar áreas devastadas há cerca de uma semana e analisam áreas de risco para decidir quem pode ou não voltar para casa. O Estado, além disso, conta seus prejuízos. A Companhia de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) informou nesta terça-feira ter enterrado mais de 1.500 animais mortos durante as enchentes. Desse total, 1.350 são bovinos, 200 são ovinos e sete, equinos. (Reportagem de Fabio Murakawa)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.