Governo pode cortar rodovia no Rio para escoar água

Tratores poderão ser usados para cortar rodovia e escoar águas que inundam Sapucaia

Clarissa Thomé, Agência Estado

27 Dezembro 2008 | 13h00

O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) estuda cortar com tratores um trecho da Rodovia BR-356, que liga o norte do Estado do Rio a Minas Gerais, no quilômetro 117, em Três Vendas, município de Campos dos Goytacazes. A idéia é abrir um canal para escoar as águas que inundam o município de Sapucaia.   Veja também: Com chuvas, oito rodovias federais ainda apresentam restrições Tudo sobre as vítimas das chuvas      O superintendente no Rio de Janeiro, Rodrigo Costa, seguiu neste sábado, 27, para a região a fim de avaliar a situação. Até por volta do meio-dia, a decisão a respeito do trecho não havia sido divulgado. No site do Dnit, uma nota publicada nesta sexta, 26, informava que as obras na BR-356 para troca das manilhas, rompidas nas últimas chuvas, começariam a partir de segunda-feira. A previsão é de que o tráfego fique interrompido até 7 de janeiro. O trânsito será desviado para rodovias estaduais. Neste sábado, voltou a chover no Estado do Rio. O coordenador regional da Defesa Civil Estadual para a região Norte e Noroeste, coronel Moacir Pires, informou que o nível dos rios Muriaé e Paraíba do Sul voltou a subir. "O número de desalojados não subiu na região porque as pessoas não tinham retornado para suas casas. Os moradores das áreas que voltaram a ser alagadas já estavam em abrigos", informou. Segundo o site da Defesa Civil, o número de desalojados e desabrigados em todo o Estado, que no início da semana passava de 50 mil, caiu para 32.671 pessoas. No Rio, entre a manhã de sexta e a manhã de deste sábado, a Defesa Civil Municipal registrou 49 chamados de socorro, referentes a rachaduras e infiltrações. O Aeroporto Santos Dumont e o Aeroporto Internacional Tom Jobim funcionaram com auxílio de instrumentos pela manhã.

Mais conteúdo sobre:
chuvas Rio estradas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.