Guardas são acusados de espancar jovem em SP

Dois guardas municipais, identificados como Rodrigo Jorge Atílio e Leandro Gonçales Garcia, que atuam na região central da capital paulista, são acusados de espancar sem motivo o jovem Flávio Esteves Jr., de 23 anos, por volta das 22h30 de ontem numa travessa da Rua do Glicério. Com hematomas por todo o corpo, o rapaz foi encaminhado por policiais militares do 11º Batalhão para o Hospital do Servidor Público Municipal (PS Vergueiro), onde levou quatro pontos na cabeça."Eu voltava do supermercado quando ouvi tiros e entrei no bar para perguntar à dona o que estava ocorrendo. De repente, dois guardas que estavam dentro do bar me puxaram e, sem perguntar nada, meu nome, de onde eu vinha, me levaram até uma rua, onde me bateram, bateram, bateram, e deram coronhadas na minha cabeça", relatou o rapaz, que trabalha com o pai, o advogado Flávio Esteves, num escritório também na região central da cidade.Segundo o pai da vítima, seu filho foi arrastado pelos guardas até a rua Vasco Pereira. O jovem voltava do supermercado Comprebem, localizado na rua do Glicério. Lá comprou três litros de leite de soja, registrados em cupom fiscal às 22h11. Testemunhas da agressão foram até uma base do 11º Batalhão da Polícia Militar e denunciaram o fato. Os policiais militares então foram até o local e, ao verem o rapaz ferido, indagaram o que estava ocorrendo, mas foram ameaçados pelos guardas, que exigiam a retirada dos PMs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.