Incra nega existência de carvoarias em assentamentos

?Isso não está acontecendo?, reagiu o superintendente regional substituto do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Valdir Perius, ao ser questionado sobre a existência de carvoarias no interior da reserva da Fazenda Teijin. ?Tinha alguns fornos lá, mas foram todos fechados numa ação que fizemos com a Polícia Ambiental?, garantiu.Informado de que os fornos tinham sido fotografados na terça-feira (30) e havia crianças no local, respondeu: ?São carvoeiros da cidade que exploram alguns assentados?. Ele disse que existem ?apenas 15 lotes? abertos irregularmente na reserva e os ocupantes serão retirados. ?Isso já foi resolvido com o MST. A reserva precisa ser preservada e quem entrou tem de sair.? Para o superintendente, quem agride o meio ambiente é o fazendeiro, não o sem-terra. ?Aquele é um povo pobre que foi abandonado no passado." Segundo Perius, o assentamento na Teijin é um dos mais importantes do Brasil e beneficia mais de mil famílias, causando ciúme. ?Para decepção de uma parte da classe política de Nova Andradina que defende o latifúndio dos japoneses, o assentamento está consolidado.?

Agencia Estado

05 de novembro de 2007 | 07h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.