Inflação abaixo do estimado ameniza previsões de juro maior

A inflação abriu o ano em um processode desaceleração que se estende também em fevereiro, o queajuda a abrandar as previsões mais agressivas do mercado de umaalta do juro este ano. Por enquanto, o cenário mais provável é de manutenção daSelic em 2008. Mas analistas ressaltaram que, se a tendência dequeda da inflação se mostrar persistente ou for acompanhada porum esfriamento da atividade, a chance de queda do juro cresce. No mês passado, a ata do Comitê de Política Monetária(Copom) deixou a porta aberta para elevações da Selic ao adotarum tom mais duro. "Uma série de índices de preços vem mostrando númerosmelhores. Essas notícias certamente mudaram o humor no mercadode juros; o pessoal de (apostas em) aumento de juro estápreocupado e o pessoal da baixa ou da manutenção do juro estácomemorando", disse Vladimir Caramaschi, economista-chefe daFator Corretora. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)mostrou alta de 0,54 por cento em janeiro, abaixo da taxa de0,74 por cento de dezembro e das previsões de 0,60 por cento. Outros números de inflação divulgados na semana --o IPC daFundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o ÍndiceGeral de Preços do Mercado (IGP-M) da Fundação Getúlio Vargas(FGV)-- desaceleraram nas primeiras prévias de fevereiro eficaram abaixo do esperado. DIVISÃO SOBRE FUTURO Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), as projeções dejuros recuavam nesta quarta-feira. O contrato de DepósitoInterfinanceiro (DI) que embute as estimativas para a viradadeste ano caía cerca de 1 por cento, para 11,71 por cento aoano. Flávio Serrano, economista-chefe da López León Markets,prevê que o Banco Central fará três reduções de 0,25 pontopercentual da Selic este ano, até 10,50 por cento, começando emsetembro. "Vejo um cenário mais calmo de inflação a partir do segundosemestre, principalmente para 2009, mesmo porque o BC já estaráolhando para 2009", disse. "Aquelas pessoas que falavam em altade juros já em março revisaram isso" depois dos últimos dadosde inflação. Já Sergio Vale, economista do MB Associados, estimamanutenção do juro ao longo do ano, já que o cenário deleinclui inflação exatamente no centro da meta, de 4,5 por cento. Os analistas consultados pela pesquisa Focus tambémprevêem, segundo a mediana das estimativas, estabilidade daSelic em 11,25 por cento em 2008. A próxima reunião do Copom está agendada para 4 e 5 demarço e o colegiado do BC terá disponíveis os dados de inflaçãode fevereiro. Para ler mais sobre o tema, clique [nN13338739 ] (Edição de Daniela Machado)

VANESSA STELZER, REUTERS

13 de fevereiro de 2008 | 15h12

Tudo o que sabemos sobre:
AGRONEGOCIOSMACROBRJUROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.