Íris do olho revela personalidade, aponta estudo

Cientistas suecos encontraram indícios de que, como diz a sabedoria popular, "os olhos são o espelho da alma", demonstrando que a íris de seres humanos tem relação com o tipo de personalidade de cada um. A equipe da Universidade de Örebro analisou o ´desenho´ das íris de 428 pessoas, e comparou os diferentes padrões com os traços de personalidade dos indivíduos.Os pesquisadores descobriram que duas características da íris variam de acordo com a personalidade: a densidão das fibras e a existência de ´sulcos´ que se formam ao redor da pupila.Olhos de tecido mais denso e compactado, com fibras que ´correm´ mais juntas pela íris, foram relacionados a pessoas emotivas, calorosas, confiantes e de emoções positivas, disseram os pesquisadores.Já o aparecimento de sulcos ao redor da pupila foi maior em indivíduos mais impulsivos.As mesmas características podem aparecer simultaneamente e com diferentes intensidades, sugerindo a variedade das combinações.GenéticaMats Larsson, um dos cientistas por trás do estudo, disse que a relação entre os olhos e o comportamento é estabelecida pela atuação do gene PAX6, que controla a formação da íris em embriões.Pesquisas anteriores haviam demonstrado que uma mutação do PAX6 atua na parte frontal do cérebro, potencializando comportamentos impulsivos.O estudo afirma que a margem de erro é menor nas análises de íris que em hipóteses baseadas em outras características. Segundo eles, a íris pode dizer mais sobre uma pessoa do que, por exemplo, a generalização de que mulheres são mais emotivas que homens."Os resultados indicam que pessoas com diferentes configurações de íris tendem a desenvolver características de personalidade de acordo (com essas configurações)", disse Larsson."Mas precisamos de outras pesquisas para comprovar as associações feitas neste estudo. As investigações podem, no futuro, dar outro sentido à velha expressão ´os olhos são o espelho da alma´".

Agencia Estado,

20 de fevereiro de 2007 | 13h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.