Justiça suspende demolição do São Vito em SP

A Justiça suspendeu a contratação dos serviços de demolição dos edifícios São Vito e Mercúrio, da região central de São Paulo . Um dos motivos foi o fato de a Prefeitura ter iniciado a licitação para execução dos serviços com moradores ainda no local. A decisão diz que isso pode ?prejudicar a formulação das propostas? das empresas interessadas. Há cerca de dez famílias no Mercúrio, segundo dados da Secretaria Municipal de Habitação. A demolição dos dois edifícios é promessa de 2005, primeiro ano da gestão José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (DEM). A licitação foi lançada neste ano. A idéia da Prefeitura é construir, na área, um parque, como forma de revitalização do centro velho da capital. O São Vito foi desocupado, mas até o dia 1º ainda havia 70 famílias vivendo no Mercúrio. Até ontem, 60 haviam saído, segundo a Habitação. A maioria inquilinos, que estão recebendo ajuda de custo e auxílio para carregar seus pertences. Todos têm de sair até o dia 15. A empresa Dial Demolições e Implosões Arcoenge fez o pedido de suspensão. O juiz Randolfo Ferraz de Campos, da 14ª Vara da Fazenda Pública da Capital, argumentou, entre outros pontos , a existência de ? a falta de razoabilidade no prazo fixado para vistoria do local, exíguo e envolvendo construção parcialmente ocupada por moradores?. As informações são do Jornal da Tarde.

AE, Agencia Estado

09 Dezembro 2008 | 09h25

Mais conteúdo sobre:
demolição SP São Vito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.