Kassab reforça que caso é diferença de interpretações

No encontro que manteve com empresários gaúchos, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, não pôde evitar de responder a jornalistas sobre a acusação de irregularidades no convênio firmado entre o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e a Prefeitura de São Paulo.

LUCAS AZEVEDO, Agência Estado

30 de novembro de 2011 | 17h10

Para o prefeito, caso vingue a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara de Vereadores, será comprovada a transparência no contrato. "Essa questão é muito simples. O MP entende que o contrato é irregular e a prefeitura acredita que não. Cabe à Justiça decidir".

Ontem, a base aliada do prefeito barrou o pedido de instalação de uma CPI na Câmara. A oposição, capitaneada pelo PT, não conseguiu sequer convocar o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, para dar explicações aos vereadores. Jorge foi um dos fundadores do PT e deixou o partido em 2003 para integrar o PV. O secretário e o prefeito tiveram os bens bloqueados pela Justiça.

Tudo o que sabemos sobre:
FRAUDE CONTROLARKASSAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.