Líder do governo reafirma 'recesso branco' na Copa do Mundo

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), reafirmou que vai propor aos líderes partidários um acordo para antecipar o "recesso branco" para 10 de junho, véspera do início dos jogos da Copa do Mundo. O recesso oficial começa em 18 de junho.

REUTERS

11 de maio de 2010 | 14h26

Ainda pela sugestão do deputado, as sessões deliberativas serão realizadas em dias em que não haja jogos da seleção brasileira pelo mundial.

Antes, ele defende a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A intenção é evitar o esvaziamento do Congresso em meio à discussão de projetos considerados importantes pelo governo.

"Eu costumo discutir as coisas como elas são, e todo mundo sabe que, no dia que tiver jogo do Brasil, nenhum deputado virá votar", disse o deputado nesta terça-feira, ao deixar a sede provisória do governo federal, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A LDO contém, além de outros dispositivos, as metas e prioridades do governo para o próximo ano e as diretrizes para o orçamento. Pela Constituição, o recesso parlamentar não ocorre enquanto a lei não for aprovada.

Questionado sobre a repercussão da proposta, Vaccarezza reconheceu que ela pode gerar desconforto aos parlamentares frente ao eleitorado, mas reafirmou o propósito de garantir que as votações não sejam interrompidas.

"Essa é a vida como ela é... Uns reclamam e outros reconhecem a realidade", concluiu.

(Reportagem de Bruno Peres; Edição de Carmen Munari)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAVACCAREZZARECESSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.