Marlene pediu para jogar cinzas na Baía de Guanabara

O velório da cantora Marlene, que morreu na tarde de sexta-feira, 13, no Rio, acontece neste sábado no teatro João Caetano (centro). Entre 8h e 9h, foi restrito à família e depois aberto ao público. A previsão é de que o corpo seja levado às 15h30 para o Memorial do Carmo, no Caju (zona portuária), onde será cremado.

LUCIANA NUNES LEAL, Agência Estado

14 Junho 2014 | 12h09

O filho de Marlene, Sérgio Bonaiuti, disse que as cinzas serão jogadas na Baía de Guanabara, para atender a pedido da cantora, uma das Rainhas do Rádio.

Marlene teve falência múltipla dos órgãos depois de ser internada com pneumonia no hospital Casa de Portugal, na zona norte. "Ela foi a grande estrela do Brasil e vai continuar sendo", disse Sérgio. Marlene não gostava de falar a idade. Nasceu em 1924, mas, no início da carreira, muito jovem, falsificou a certidão de nascimento para 1922 e passou a adotar a nova idade.

Mais conteúdo sobre:
velóriocantoraRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.