Médicos estão em alerta permanente no RS, diz ministro

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, concedeu entrevista nesta manhã, no Centro Desportivo Municipal de Santa Maria (RS), informando que não houve registro de óbitos nesta madrugada, mas que as equipes médicas estão em alerta permanente, após a tragédia ocorrida na boate Kiss. O ministro alertou para o fato de que algumas pessoas que sobreviveram ao incêndio na boate podem apresentar sintomas da chamada pneumonia química, com tosse e falta de ar nos próximos três dias. Cerca de 40 pessoas estão respirando com a ajuda de ventilação mecânica, em decorrência da tragédia que deixou 231 mortos.

AE, Agência Estado

28 de janeiro de 2013 | 08h57

As últimas informações são de que mais de 300 pessoas foram atendidas em unidades de saúde do município de Santa Maria. Dentre os feridos, cerca de 30 foram transferidos para Porto Alegre, na madrugada desta segunda-feira. O ministro Padilha disse que o objetivo maior agora é salvar o maior número possível de vítimas. Ele disse ainda que uma das prioridades é garantir leitos vagos de UTI na cidade de Santa Maria como retaguarda para eventuais casos que possam evoluir e necessitar deste atendimento. Vários profissionais de saúde, incluindo médicos, enfermeiros, psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais de várias regiões do País estão na cidade ajudando as vítimas e dando apoio a seus familiares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.