Medvedev assume governo russo e promete liberdade

Dmitry Medvedev tomou posse naquarta-feira como presidente da Rússia, numa cerimônia solenena sala do trono do Kremlin, embora seu antecessor, VladimirPutin, continuará exercendo considerável poder como premiê. Ex-advogado de grandes empresas, aliado histórico de Putin,Medvedev, de 42 anos, deu ênfase à liberdade e ao Estado dedireito nas suas primeiras declarações após prestar juramento ereceber uma corrente de ouro com águias de duas cabeças, osímbolo da presidência. "Acredito que meus objetivos mais importantes serãoproteger as liberdades civis e econômicas", disse Medvedev aos2.000 convidados da posse, transmitida ao vivo pela TV. "Devemos lutar por um verdadeiro respeito à lei e superar oniilismo legal, que atravanca seriamente o desenvolvimentomoderno." O novo presidente chegou ao Kremlin sozinho, numa limusineMercedes preta, cercado por 11 batedores. Duas horas depois da posse, ele nomeou Putin comoprimeiro-ministro do país, como já era esperado. Medvedev recebe do antecessor uma economia próspera,ajudada pelo preço recorde do petróleo, mas também terá deenfrentar problemas como a corrupção desenfreada, a inflação emalta, a diminuição populacional, o sucateamento da indústria eda agricultura e as relações cada vez mais tensas com osvizinhos ex-soviéticos e com o Ocidente. Putin também é acusado por críticos internos e por governosestrangeiros de pisotear os direitos humanos e limitar asliberdades democráticas. Antes que Medvedev tomasse posse, Putin entrou no Kremlin--sozinho e muito sério-- e agradeceu aos russos por suaconfiança ao longo de oito anos de governo. Proibido dedisputar um terceiro mandato, ele pediu à população que apoie onovo sucessor, desde que suas políticas sejam mantidas. "É muito importante para todos manter o rumo que jácomeçamos e se provou correto", afirmou. Depois da posse, o patriarca de Moscou, Alexiy 2o, líder dainfluente Igreja Ortodoxa Russa, celebrou uma missa numacatedral próxima para abençoar o novo presidente. Putin indicou Medvedev à sua sucessão em dezembro passado,e conseguiu transferir sua popularidade para ele nas eleiçõesde março. Ambos trabalham juntos desde o começo da décadapassada. O agora ex-presidente, que continua sendo de longe opolítico mais popular do país, vai acumular o cargo de premiêcom a liderança do partido Rússia Unida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.