MMX vende fatia 21,5% para chinesa Wuhan por US$400 mi

A companhia mineradora MMX anunciou nesta segunda-feira que fechou acordo com a chinesa Wuhan Iron & Steel (Wisco) para venda de 21,52 por cento de seu capital social por 400 milhões de dólares.

REUTERS

30 de novembro de 2009 | 10h06

A companhia chinesa vai comprar novas ações emitidas pela companhia do empresário Eike Batista, que usará os recursos no desenvolvimento das operações da empresa em Minas Gerais, reunidas no "sistema Sudeste". A MMX também tem operações em Mato Grosso do Sul.

Em comunicado enviado ao mercado, a MMX afirma que vai emitir 167.849.906 novas ações ordinárias ao preço equivalente em reais de 3,93 dólares. "Aos acionistas minoritários haverá direito de preferência à razão de 0,550104921470471 ação por ação detida".

As ações da MMX encerraram a sexta-feira cotadas a 12,01 reais.

O acordo também inclui um contrato de 20 anos relativo a fornecimento de minério de ferro à empresa chinesa e a construção de uma usina siderúrgica integrada no Porto de Açu, da LLX, outra empresa de Batista.

Pelos termos, a MMX garante oferta de 50 por cento do minério de ferro a ser produzido na unidade de Serra Azul do sistema MMX Sudeste, com a possibilidade de aumento do fornecimento em pelo menos 50 por cento do minério de ferro a ser produzido na unidade de Bom Sucesso.

Isso "poderá resultar na exportação de pelo menos 16 milhões de toneladas de minério de ferro por ano pelo sistema MMX Sudeste, tão logo este tenha atingido capacidade de produção total", comenta a MMX.

Os dois grupos querem ter até o final de maio de 2010 todas as licenças e condições para o início da construção da siderúrgica que terá capacidade mínima de 5 milhões de toneladas anuais. A usina será controlada em 70 por cento pela Wuhan Iron com o restante ficando com a EBX, holding de empresas de Batista.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAOMMXWUHAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.