Reprodução
Reprodução

Monte o seu menu

Novos serviços ampliam acesso e conteúdo ao gosto do freguês, da TV à web

Thaís Pinheiro - O Estado de S.Paulo,

11 Junho 2011 | 16h00

Faz tempo que os papas da televisão falam nesse tal de Video on Demand, agora tratado pelas iniciais na sigla VOD, como a "televisão do futuro". Pois o futuro nunca foi tão presente nesse terreno. Cabe ao conteúdo ir em busca de seu telespectador, que passa a ser, mais do que nunca, o dono da grade de sua programação.

Veja também:

link TV em 3D invade o mercado

O VOD nunca foi tão acessível no País e a tendência é abrir seu leque de alcance em curto prazo a mais regiões e bolsos, como já acontece nos Estados Unidos, Japão e Europa. De quebra, é o espaço ideal para as primeiras experiências de transmissão em 3D pela TV - até que a indústria (leia texto na pág. ao lado, abaixo) e a demanda avancem, o segmento pode muito bem ser contemplado sob encomenda por quem pode mais.

O controle remoto ganha outro status e se estende ao mouse do computador e ao teclado do tablet. Vale para sintonizar o lançamento do filme a que o telespectador vai assistir, como a Sky vem oferecendo há um ano. Ou para resgatar um programa exibido há um mês, como agora se dá pela Net, ou ainda para ver coisa de 15 anos atrás, menu que logo estará disponível pelo acervo da GloboSat. E tudo pode ser interrompido e reiniciado ao gosto do freguês.

No caso da internet, como o Video Store do Terra, a questão da mobilidade se torna ainda mais palpável, já que é possível acessar o seu conteúdo em qualquer computador ou TV ligada à internet. Em breve, tudo estará em celulares e tablets.

No que se refere à televisão, alta qualidade de imagem e som são características imprescindíveis. Portanto, a oportunidade de ter um VOD fica restrita apenas aos clientes que têm pacotes HD (que variam entre R$ 139 e R$ 239). Na web, isso já fica bem mais acessível.

Embora o Video on Demand seja a menina dos olhos de muita gente, Gustavo Ramos, diretor de novas mídias da Globosat, já avisa: "Este é um negócio de valor porque você pode ver a hora que quiser, onde quiser... Mas isso não substitui o fato de você encostar no sofá e pegar o controle remoto. Não há mudança dramática de comportamento".

A partir das funcionalidades de cada um dos sistemas hoje em oferta no mercado, a página ao lado apresenta um guia para ninguém ficar perdido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.