MST ocupa representações do Incra em SP e Recife

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) ocuparam na manhã de hoje representações do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na capital paulista e em Recife (PE). Com as ações de hoje, já são nove as unidades da instituição tomadas por sem-terra nesta semana - as demais foram em Petrolina (PE), Fortaleza (CE), Natal (RN), Belém (PA), Salvador (BA), Boa Vista (RR) e em São Gabriel, no Rio Grande do Sul. As informações são do MST. As invasões dos últimos dias fazem parte da campanha nacional do MST pela reforma agrária.

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

13 Agosto 2009 | 11h57

Os manifestantes exigem o assentamento de 90 mil famílias, a recomposição do orçamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário para a área e a revisão do cálculo do índice de produtividade em áreas agrícolas. Cerca de mil integrantes do MST estão em São Paulo para os protestos. Segundo o movimento, 800 participam da passeata que ocorre esta manhã em direção ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Segundo o presidente do movimento, João Pedro Stédile, os manifestantes tentarão ter uma audiência com o governador José Serra (PSDB) ou com o secretário-chefe da Casa Civil do Estado de São Paulo, Aloysio Nunes Ferreira. "Companheiros vão lá pedir que o governo acelere a análise das terras públicas estaduais para destiná-las para a reforma agrária", disse Stédile. "Esse era o espírito desde o governador (Carlos Alberto Carvalho Pinto), em 1958. Serra está quarenta anos atrasado", criticou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.