Não falta água em nenhuma escola de SP, diz Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta segunda-feira, 3, que não há nenhuma procedência nas afirmações de que o ano letivo nas escolas do Estado será interrompido por falta de água. "Não tem nenhuma procedência. Não temos falta de água em nenhuma escola", disse o governador.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Estadão Conteúdo

03 Novembro 2014 | 12h33

"Sempre colocamos que o pior já vinha passando e que cada dia estamos mais perto do período chuvoso", afirmou. De acordo com Alckmin, o inverno passou, a primavera está na metade e as chuvas estão chegando, e o Estado tem reservas de água. "No Sistema do Alto Tietê já subimos (nível de reserva de água) em quase 9 pontos porcentuais e um novo sistema já foi incluído", disse Alckmin.

Ele ressaltou que, no Cantareira, não foi usada ainda a segunda reserva técnica de água. "E estamos otimistas com o novo bônus. Quem economizar até 10% de água terá um bônus de 10%, quem economizar 20%, terá 20%, e quem economizar mais terá 30%", explicou.

Alckmin disse ainda que, em novembro, vai entregar para a região abastecida por Cantareira 1 metro cúbico de água por segundo da Represa de Guarapiranga. "Tirávamos 33 metros do Cantareira, agora 19 metros e passaremos a tirar 18 metros", afirmou.

Perguntado qual é o plano do governo para o caso de não chover, o governador disse que é interligar os sete sistemas de abastecimento do Estado. Ele afirmou também que já está em fase de obras a parceria público-privada do Rio São Lourenço, no Vale do Ribeira, com 600 funcionários que devem chegar a 3 mil funcionários. O objetivo da obra é trazer água para a região metropolitana de São Paulo. "O Estado está tomando todas as medidas para enfrentar essa seca que é excepcional", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
abastecimento crise da água Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.