Norte e Nordeste têm alta no registro de nascimentos

Números refletem queda na taxa de natalidade, mas mostram dificuldade para universalização de registros

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

04 Dezembro 2008 | 10h29

As regiões Norte e Nordeste apresentaram alta no número de registros de nascimento, segundo dados do IBGE divulgados na manhã desta quinta-feira, 4. Os porcentuais de sub-registros (conjunto de nascimentos não registrados no próprio ano de ocorrência ou até o fim do primeiro trimestre do ano subseqüente) apresentaram "redução progressiva" no País de 2000 a 2007, segundo mostra a pesquisa Estatísticas do Registro Civil.   Veja também: País já tem um divórcio para cada quatro casamentos   A íntegra divulgada pelo IBGE    Segundo a pesquisa, no período, o porcentual de sub-registro de nascimento passou de 21,9% (em 2000) para 12,2% (2007). A maior redução ocorreu na região Norte do País, de 47,1% para 18,1%. A região Sul tem a melhor cobertura de registros de nascimento, com porcentual de sub-registro de apenas 1,4% em 2007. No Sudeste, era de 5,5% naquele ano e, no Centro-Oeste, de 10,6%.   Em números absolutos, no Brasil, foram registrados, no ano passado, 2.750.836 nascimentos, ou cerca de 48 mil registros a menos do que no ano anterior. Segundo observam os técnicos do IBGE no documento de divulgação da pesquisa, "o declínio no volume total de registros de nascimentos, de um lado, reflete a tendência das taxas de fecundidade no Brasil e dos nascimentos estimados para cada ano. De outro, mostra as dificuldades para a universalização desses registros a todos os brasileiros, no prazo especificado por lei".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.