Noruega propõe autorizar pesquisa com células-tronco

O governo norueguês propôs suspender a proibição nacional ao uso de células-tronco embrionárias de origem humana em pesquisas científicas, dizendo que a mudança poderá ajudara a encontrar curas para dezenas de doenças. Células-tronco embrionárias têm o potencial de se transformar em qualquer um dos tecidos do corpo humano, o que leva cientistas a vê-las como uma fonte provável de avanços para a medicina. Mas as pesquisas sobre o assunto geralmente implicam a destruição de embriões congelados, criados para processos de fertilização in vitro, uma medida que levanta polêmicas sobre o início da vida.A lei norueguesa de biotecnologia proíbe o uso de óvulos humanos fertilizados ou de células-tronco extraídas deles para pesquisa científica, e exige que os óvulos sobressalentes de um programa de reprodução assistida sejam destruídos.A mudança proposta na lei permitiria que esses óvulos fossem usados por cientistas dentro de uma série de limitações, incluindo consentimento dos pais e aprovação de um comitê de ética.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2007 | 14h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.