"O campeão voltou", grita torcida emocionada em Copacabana

A torcida não se importou com o sol a pino durante o jogo que começou às 13h e mais uma vez esgotou a lotação da festa oficial da Fifa montada na praia de Copacabana, neste sábado, e sofreu junto com a seleção brasileira na vitória suada sobre o Chile.

FELI, REUTERS

28 Junho 2014 | 18h20

A animação dos torcedores que acompanharam o jogo no telão montado na areia foi substituída por apreensão e silêncio total durante todo o segundo tempo do jogo, em que o Brasil ficou no 1 x 1 com o Chile e só conseguiu a vaga nos pênaltis, depois de mais sofrimento na prorrogação.

Os torcedores se abraçaram, deram as mãos e fizeram coro com o nome de Julio Cesar durante as cobranças de pênalti, vibrando com as defesas do goleiro brasileiro como se fossem gols. A vitória foi comemorada com gritos de "O campeão voltou!".

Após o êxtase da vitória no último instante, quando o chileno Jara errou a quinta cobrança, muitos torcedores não conseguiram segurar as lágrimas.

"Eu já estava chorando que não ia ter mais feriado! Não ia ter mais festa! Que alívio que o Brasil passou, Julio Cesar é nosso herói", disse Diego Alves, professor de 26 anos, que foi à Fan Fest da Fifa com um grupo de oito amigos, todos paramentados com perucas e bandeiras.

Durante a prorrogação, a angústia tomou conta da multidão de 20 mil pessoas no local. A maioria permaneceu estática e algumas resolveram sentar de costas para o telão quando o juiz apitou o final da prorrogação, mostrando-se incrédulas com o nervosismo da cobrança de pênaltis na partida pelas oitavas de final.

"Não esperava que fosse chegar a esse ponto. Estou muito aliviada, mas não queria ter que precisar passar por isso agora. Tiramos fino de passar vergonha", disse a professora Sonia Levinbuk, de 56 anos, após o desfecho da partida.

Um show que estava previsto para ocorrer depois da partida no aquecimento para Colômbia x Uruguai teve que ser cancelado devido à demora para a definição do jogo, sendo substituído pela confraternização entre os brasileiros.

Logo após o final, a torcida pulou abraçada aos gritos de "Adiós, Chile".

Embora em número muito menor, alguns chilenos também compareceram e assistiram um pouco tímidos à partida. Apesar da derrota, eles afirmaram estar orgulhosos do time, reconhecendo a atual seleção do Chile como a melhor de todos os tempos.

"Isso foi futebol! Estou muito triste com a eliminação, mas vou comemorar mesmo assim, porque esse time do Chile vem se preparando há dois, três Mundiais e demonstrou sua força. E poderíamos muito bem ter ganhado. Nos pênaltis foi loteria", disse o chileno Daniel Berroeta, gestor de 29 anos da cidade de El Quisco, que assistia à partida sozinho em meio à multidão de brasileiros.

(Edição de Pedro Fonseca)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.