Obama pode estudar 2o pacote de estímulo se for preciso-assessor

O presidente Barack Obama pode discutir um segundo pacote de estímulo para dinamizar a economia, se for necessário, mas no momento não parece ser necessário dinheiro novo, disse um alto assessor da Casa Branca no domingo.

REUTERS

28 de junho de 2009 | 18h44

"Boa parte do estímulo ainda vai acontecer, e vamos ver como isso vai funcionar antes de falar sobre os próximos passos", disse ao programa "Meet the Press", da TV NBC, o assessor sênior David Axelrod.

"No outono vamos avaliar como estamos, mas neste momento acreditamos que o que já fizemos foi o suficiente. Se for preciso fazer mais, teremos essa discussão."

Depois de tomar posse, em janeiro, Obama fez aprovar um pacote de estímulo emergencial de 787 bilhões de dólares, e a Casa Branca disse na época que esperava que a iniciativa pudesse manter o desemprego em níveis de um algarismo.

Mas a economia vem se enfraquecendo mais do que o previsto, e a Casa Branca agora avisa que o índice de desemprego pode passar dos 10 por cento nos próximos meses, contra 9,4 por cento em maio, diante da pior recessão em décadas.

"Não quebramos a espinha da recessão", disse Axelrod. "Vamos ter que navegar por tempos muito difíceis. Mas a questão é que estamos indo na direção certa."

Mais conteúdo sobre:
ECONOMIAEUAESTIMULOOBAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.