OEI: 80% dos docentes do País se sentem desvalorizados

Quase 80% dos professores brasileiros não se sentem valorizados pela sociedade. É o que mostra o estudo ?As emoções e os valores dos professores brasileiros?, coordenado pela educadora Maria Tereza Perez Soares e encomendado pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e pela Fundação SM. A pesquisa, que ouviu 3.584 docentes do País, evidencia o que muitos professores sentem nas redes pública e particular.Segundo Yves de La Taille, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), nos últimos anos houve uma redução do grau de valorização do professor. ?Mas a redução não aconteceu apenas em relação ao professor, mas a valorização da sociedade em relação à política e até religião.?O que ajudaria a reverter esse quadro, segundo La Taille, é a mudança de atitude do professor em relação à docência. ?As condições de trabalho não são as melhores, mas o professor, em vez de priorizar o relacionamento, deveria ter uma relação mais privada com a docência. Em vez de valorizar o afetivo, deveria dar ênfase à transmissão do conhecimento, ao seu desempenho.?A citação de La Taille explica outro dado: 31,6% dos professores consideram o ensino como ?atividade ligada aos valores e à moral? e apenas 8,6% o consideram como ?trabalho?. Já o secretário-geral da OEI, Álvaro Marchesi, ressalta que, mesmo assim, os professores brasileiros são mais otimistas em relação ao futuro. ?O estudo mostra que cerca de 80% deles vêem o futuro de forma positiva. Na Espanha, são 60% que enxergam dessa maneira.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE, Agencia Estado

31 de outubro de 2007 | 10h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.